Google Analytics Alternative

MULHERES, PREVINA OS SINTOMAS DA TPM.

quinta-feira, 31 de março de 2011 0 comentários

O Bem Estar também falou sobre a importância da dieta para evitar a TPM. Veja abaixo:
Alimentos indicados
- Cálcio: leites e derivados, sorvete desnatado, salmão, vegetais verdes e tofu (queijo de soja)
- Vitamina B6: carnes, cereais integrais, banana, batata, lentilha, amendoim, nozes, salmão, atum e fígado de boi
- Magnésio: vegetais verdes escuros (como espinafre, escarola e brócolis), arroz integral, abacate, banana, beterraba, abacaxi, manga, milho e granola
- Vitamina D (além do sol): leite, gema de ovo, manteiga, peixes de água fria, shitake seco e óleo de fígado de bacalhau
- Fibras, legumes e verduras em geral
- Ácidos graxos: óleo de prímula ginkgo biloba e ômega 3
- Água e diuréticos naturais (melancia, melão, alcachofra e abacaxi)
O ideal é consumir esses alimentos o mês todo, mas, se não for possível, iniciar a ingestão por volta de 10 a 15 dias antes da menstruação.
Alimentos não recomendados
- Frituras
- Gorduras
- Sal
- Açúcar
- Café, chás e bebidas à base de cola
- Álcool
- Margarina
- Molho shoyu

Fonte: Texto e imagem G1 Bem-estar, Cerca de 40% das mulheres têm sintomas da TPM, diz ginecologista, 30/03/11. Acesso em 31/03/11.

COLESTEROL ELEVADO, PREVINA.

0 comentários

Tanto o colesterol quanto os triglicérides – gorduras mais relacionadas à alimentação, que podem se acumular se não aproveitadas pelo corpo – são importantes fontes de armazenamento de energia. O nível ideal de triglicérides é de 150 mg/dl, e a prevenção está intimamente ligada à dieta e à prática de exercícios.

Já, os níveis gerais de colesterol (total) em miligramas por decilitro* são:
- Menos de 200 mg/dl - Desejável: menor risco de doença cardíaca
- Entre 200 e 239 mg/dl - Limiar de alto risco
- Mais de 240 mg/dl - Nível não desejável: alto risco
* Dependem da idade e do histórico do paciente

Fonte: Texto e imagem G1 Bem-estar, Em excesso, colesterol pode causar infarto ou derrame, dizem médicos, 23/03/11. Acesso em 31/03/11.

ÓLEO DE COCO, APROVEITE SEUS BENEFÍCIOS.

quarta-feira, 30 de março de 2011 1 comentários
...fonte de gordura com propriedades
nutricionais únicas.

Com inúmeros benefícios à saúde, o óleo de coco promove o fortalecimento do sistema imune, facilita a digestão.

É útil para cozinhar, porque o óleo de coco tem uma tolerância à temperatura muito maior do que mesmo o óleo de oliva extra-virgem...É também amplamente utilizado em receitas como um estabilizador e uma fonte de gordura com propriedades nutricionais únicas.

Óleo de coco é 44,6% de ácido láurico, ácido mirístico 16,8% e 8,2% de ácido palmítico, e é composto principalmente de ácidos graxos de cadeia média (AGCM). 

O óleo de coco tem uma vida útil longa - até vários anos na prateleira devido à sua capacidade de, naturalmente serem resistentes à oxidação. Quando armazenado na geladeira, é naturalmente sólido. Quando aquecido, em temperatura ambiente, torna-se um líquido.

Usando o óleo de coco extra-virgem
Se você ao cozinhar tem utilizado algum óleo ou manteiga, tente substituir pelo óleo de coco. O óleo de coco evita com que se crie substâncias cancerígenas que se formam em altas temperaturas.

Fonte: Parte do texto em Natural news.
Por Greice Caroline Baggio.

PROPRIEDADES ANTICÂNCER DO ÁCIDO FÍTICO E BUTIRATO EM LEGUMINOSAS.

0 comentários
Propriedades anticâncer de leguminosas...
A investigação científica continua a mostrar a ligação entre as escolhas alimentares e risco de desenvolvimento de câncer.

Pesquisadores descobriram poderosos efeitos anti-câncer do ácido fítico, uma substância encontrada nas leguminosas, e de butirato, um ácido graxo de cadeia curta produzidos no lúmen do cólon, como resultado do consumo de leguminosas.
O butirato é produzido no lúmen do cólon, como resultado da fermentação de bactérias encontradas em amido resistente de leguminosas. Os investigadores têm realizado estudos in vitro demonstrando o butirato estando associado à uma gama de propriedades quimio-preventivas, incluindo uma redução na proliferação das células cancerosas e de vasos sanguíneos que alimentam tumores.

O butirato também melhora as funções do sistema imunológico e tem efeitos antiinflamatórios... Um estudo no Journal of Nutrition comparou indivíduos com menor consumo de feijão com aqueles com o consumo mais elevado, aqueles com o maior consumo teveram uma redução muito significativa de 65% na recorrência de pólipos avançados do cólon. Butirato não é o único composto resultante do consumo de leguminosas; leguminosas também contêm antioxidantes e componentes que oferecem até mesmo proteção ao câncer.
O ácido fítico tem recebido críticas devido à sua ligação com minerais, podendo provocar  deficiências. Entretanto, preocupações com o ácido fítico e deficiências minerais são infundadas. Uma pesquisa publicada no Journal of Medicinal Food encontrou aumento da densidade óssea com o aumento do consumo de alimentos que contêm fitato, como leguminosas. Outro estudo no Journal of Trace Elements in Medicine and Biology mostrou que, ou ácido fítico não tem efeitos negativos sobre o status mineral e que quantidades adequadas na dieta deve ser considerada favorável. Há um conjunto significativo de pesquisas disponíveis mostrando que o ácido fítico tem à saúde significativos benefícios, incluindo propriedades anti-câncer. [...]

As leguminosas são importantes na alimentação, contêm proteínas, ferro, ácido fólico, vitaminas B, zinco, fibras e antioxidantes. Leguminosas não só fornecem as propriedades anti-câncer, mas também a estabilizam os níveis de açúcar no sangue, fornecem saciedade e deve ser parte regular de uma dieta saudável na prevenção do câncer.

Fonte: Parte do texto traduzido em Natural news, Legume consumption offers powerful protection against cancer, autor T.M. Hartle, 30/03/11.

Acrescentando
Ácidos graxos de cadeia curta (AGCC) são importantes para a manutenção da função e integridade da mucosa colônica. Os AGCC são formados no cólon através da fermentação bacteriana anaeróbica de carboidratos não digeridos e não absorvidos pelo intestino delgado. A maior fonte desses carboidratos presentes no cólon são as chamadas fibras dietéticas, que podem ser o amido resistente e a parede celular polissacarídica dos vegetais, também denominada de polissacárides não-amido. Proteínas e aminoácidos também contribuem, em menor proporção, como fonte de AGCC ramificados. Os principais AGCC obtidos a partir da fermentação das fibras dietéticas são o acetato, o propionato e o butirato.

O butirato é entre os AGCC o mais importante para a integridade do cólon, pois está intimamente relacionado com a proliferação, diferenciação e apoptose do colonócito, além da absorção de sódio, bicarbonato e água pelo cólon.

Fonte: TRAASSUMPCAO, Izaura Ramos; RODRIGUES, Maraci; BARBIERI, Dorina. Tratamento da retocolite ulcerativa inespecífica em criança com enemas contendo butirato: relato de caso. Arq. Gastroenterol., São Paulo, v. 36, n. 4, Dec. 1999,. scielo, access on 30/03/2011.

As atribuições ao ácido fitico é assunto controverso, o que você tem a acrescentar sobre o assunto? Deixe seu valioso comentário! 

MENOS ESTRESSE, QUALIDADE DE SONO PODEM AJUDAR A PERDER PESO.

terça-feira, 29 de março de 2011 0 comentários
Ficar sem o equilíbrio correto pode interferir
com os seus melhores esforços, diz estudo.


Se você estiver disposto em perder quilos extras, você provavelmente deve procurar reduzir o stress e obter mais quantidade de sono à lista, dizem os pesquisadores do Kaiser Permanente's Center for Health Research em Portland.

Na verdade, embora a dieta e o exercício são a receita habitual para reduzir o peso corporal, alta tensão e muito pouco sono pode dificultar a perda de peso, mesmo quando as pessoas estão em uma dieta.

"Descobrimos que as pessoas que tem mais de seis, mas inferior a oito horas de sono, e que relataram níveis mais baixos de estresse, teviram mais sucesso em um programa de emagrecimento", disse o autor do estudo, Dr. Charles Elder. 

Elder especula de que se você está dormindo mais ou menos do que o recomendado e se seus níveis de estresse está alto, você terá dificuldades de se concentrar em fazer as mudanças de comportamento.

"Se você quer perder peso, coisas que vão ajudá-lo é incluir a redução de estresse e obter a quantidade certa de sono", disse Elder.

O relatório foi publicado no International Journal of Obesity. A quantidade certa de sono e redução do estresse prevê a perda de peso bem sucedida.

"As pessoas que são saudáveis ​​e possuem vitalidade tendem a ser assim não por causa de apenas um fator, mas por causa de muitos fatores que promoverão a saúde. - Comer bem, ser ativo, não fumar, dormir o suficiente, controlar o stress, para citar alguns - promovem todos os aspectos à saúde ", acrescentou.

Fonte: Health day, Less Stress, Better Sleep May Help You Lose Weight, 29/03/11.

DORMIR MENOS, COMER MAIS.

0 comentários

Aqueles que dormiram quatro horas consumiu cerca
de 300 calorias a mais por dia
do que aquelas que dormiam nove horas.
Pessoas de peso normal comam mais, quando dormem menos, é o que revela o estudo. Aqueles que dormiram quatro horas consumiu cerca de 300 calorias a mais por dia do que aquelas que dormiam nove horas.

Pesquisadores da Universidade Columbia descobriram que os adultos privados de sono comeram cerca de 300 calorias a mais por dia, em média, do que aqueles com sono adequado. E o excesso de calorias na sua maioria vieram de gordura saturada...

A dietas das mulheres pareciam ser as mais afetadas pela falta de sono. Consumindo em média cerca de 329 calorias a mais por dia, se não estivessem bem descansadas, enquanto os homens consumiram 263 calorias em média.

Os pesquisadores chegaram às suas conclusões depois de seguir 13 homens e 13 mulheres com peso normal. Foram monitorados os hábitos alimentares dos participantes, que passaram seis dias dormindo quatro horas por noite e em seguida, seis dias dormindo nove horas por noite (ou o inverso). Os resultados foram apresentados pela American Heart Association, em Atlanta. 

As escolhas alimentares feitas por pessoas que privam-se de sono poderiam predispô-las à obesidade e aumento do risco de doença cardiovascular. Mantenha cautela no que consome nos dias em que não tiver tido um sono adequado.

Fonte: Health day, Sleep Less, Eat More: Study, 23/03/11

AO ENVELHECIMENTO SAUDÁVEL: EXERCÍCIOS FÍSICOS.

0 comentários
...não importa qual a sua idade - pode ajudar a tornar
 as mudanças físicas e mentais que acompanham
o envelhecimento mais fácil de manusear.


O envelhecimento faz parte do processo natural da vida, e envelhecer não é uma coisa para negar, evitar ou temer. No entanto, tomando algumas medidas simples agora - não importa qual a sua idade - pode ajudar a tornar as mudanças físicas e mentais que acompanham o envelhecimento mais fácil de manusear.  

O exercício regular é um importante passo na direção certa, que pode ajudar a diminuir o risco de doenças, promover o sono, aumentar a energia e afastar uma série de problemas de saúde. Junto com uma boa dieta, atividades que estimulam a mente e as conexões sociais, o exercício é ideal para envelhecer bem. [...] Andar a pé, treino de força, ioga e tai chi chuan são algumas boas escolhas, fale com seu médico sobre as opções que são melhores para você.

Um passeio, regular diária é bom para a saúde física, e agora parece que pode retardar a progressão da doença de Alzheimer e evitar o declínio mental. Entretanto, a quantidade necessária para obter esses benefícios para o cérebro é mais do que apenas dar uma volta no quarteirão: pesquisadores da Universidade de Pittsburgh concluiram que para se proteger contra o declínio cognitivo você tem que realizar uma média de pelo menos cinco quilômetros por semana, toda semana, por cerca de 10 anos.

Já, um estudo japonês seguiu 265 pessoas com a função mental normal e comprometimento cognitivo leve, devido à doença de Alzheimer durante um ano. Após 12 meses de uma intervenção de exercício moderado, 70% dos participantes apresentaram melhora significativa da função da memória. E quanto mais os participantes se exercitaram, maior será a melhora.
E você, tem feito exercícios físicos? Os benefícios são múltiplos, aposte neles!

Fonte: Parte do texto traduzido em Dr. Weil's, blog.
Por Greice Caroline Baggio.

ALIMENTOS RICOS EM CÁLCIO.

3 comentários
Aposte na variedade para obter suficientes fontes de cálcio.
Fontes de cálcio? Parece-me que muitos vão lembrar somente de leite e seus derivados. Embora o leite possua grandes quantidades deste mineral, é importante lembrar que não é bem absorvido ou utilizado pelo organismo, bem como há significativo crescimento de casos de alergia e/ou intolerância aos lácteos.

A boa notícia é que existem muitos outros alimentos ricos em cálcio que são fáceis de incorporar em sua dieta diária.
A lista a seguir oferece fontes saudáveis de alimentos ricos em cálcio.

1. Sementes de gergelim
Estas pequenas sementes são muito ricas em cálcio, assim como outras vitaminas e minerais importantes. Sementes de gergelim cruas possuem cerca de 1000 mg de cálcio por porção de 100g.

2. Folhas verde escuras
Espinafre, couve... vegetais folhosos verde escuro são uma excelente escolha à saúde. Espinafre é um dos mais ricos em cálcio, com cerca de 291 gramas de cálcio por xícara.

3. Sementes de linhaça
Não somente rica em cálcio (256 mg por porção de 100g), sementes de linhaça também são ricas em gorduras ômega 3. As sementes também são uma ótima maneira de melhorar a saúde intestinal.

4. Quinoa
Este é um grão muito saudável, uma xícara de quinoa cozida oferece aproximadamente 60-100 mg de cálcio, sem mencionar uma grande quantidade de zinco, potássio e proteína.
 
5. Laranjas
Um copo de suco de laranja feito na hora, oferece cerca de 72 mg de cálcio. Além de vitamina C, que irá melhorar significativamente a quantidade de cálcio absorvida. Além de vitamina C e cálcio, as laranjas também são uma ótima fonte de potássio, ácido fólico, vitamina A e beta-caroteno.

7. Brócolis
Uma xícara de brócolis oferece cerca de 74 mg de cálcio, juntamente com 120 mg de vitamina C que ajuda o orgnismo na absorção do cálcio. Brócolis também contém uma elevada quantidade de vitamina K, vitamina A, ácido fólico e fibras alimentares.

8. Frutas Secas e oleaginosas
Muitas frutas secas são ricas em cálcio. Na verdade, comer cinco figos secos, por exemplos, por dia, fornecerá cerca de 135 mg de cálcio. As amêndoas são também extremamente ricas em cálcio.

9. Temperos e condimentos
Quem teria pensado que a adição de temperos e condimentos no prato aumentaria sua ingestão de cálcio? Os mais ricos em cálcio incluem o endro, manjericão, manjerona, tomilho, orégano, sementes de papoula, hortelã, semente de aipo, sálvia, salsa e alecrim.

Quais são suas favoritas fontes de cálcio? Deixe seu comentário!

Fonte: Parte do texto traduzido em global healing center.
Por Greice Caroline Baggio.

4 BEBIDAS: SAUDÁVEIS X "NÃO" SAUDÁVEIS.

segunda-feira, 28 de março de 2011 0 comentários

Experimente OTIMIZAR sua dieta,
sua saúde, com BEBIDAS SAUDÁVEIS!

Aqui estão quatro bebidas saudáveis, expostas por Dr. Weil's, encontre as melhores maneiras de incorporá-las em sua rotina diária:

1. O chá verde: o chá verde é uma poderosa fonte de catequinas - os antioxidantes saudáveis ​​que podem inibir a atividade das células de câncer e ajudam a impulsionar a imunidade. Substitua seu café preto da manhã por uma xícara de chá verde, ou mesmo tome após o almoço.

2. Suco de cranberry. Cranberrys são uma rica fonte de vitamina C e contêm uma substância que impedem a fixação das bactérias às paredes da bexiga, o que pode ajudar a prevenir infecções do trato urinário.

3. Vinho tinto. A atividade antioxidante de vinho tinto tem sido associado à benefícios de saúde cardíaca, redução do stress, e ainda preservar a memória. Se você gosta de uma bebida ocasional, limitar a ingestão de 1-2 copos por dia. Se você não possui o hábito, não comece - há outras maneiras de obter os antioxidantes na sua dieta, incluindo produtos frescos, frutas e verduras.

4. Água pura, filtrada. Ficar bem hidratado é essencial para a ótima saúde  e funcionamento geral do organismo. Beber o suficiente durante todo o dia, e nos meses mais quentes, não se esqueça de beber água ao realizar exercício para evitar a desidratação.

Experimente OTIMIZAR sua dieta, sua saúde, com BEBIDAS SAUDÁVEIS!


Agora, se você está atento ao seu peso ou apenas quer manter uma dieta saudável, analisar as bebidas que ingere é fundamental. As calorias vazias podem dificultar à perda de peso ou sua saúde - especialmente os seguintes:

1. Bebidas preparadas com café, leite integral, aromatizantes artificiais, e demais, como chocolate granulado. A melhor opção é um café simples com leite de soja ou, melhor ainda, ricas em antioxidantes do chá verde.

2. Coquetéis com açúcar. Quer se trate de uma margarita ou uma pina colada, estas bebidas apresentam uma dose dupla de calorias devido ao álcool e açúcar - algumas podem conter 800 calorias em uma porção. Melhores opções são um copo de vinho tinto (60-100 calorias).

3. Sucos ricos em açúcar. Antes de comprar suco, leia o rótulo e verifique se ele é 100% do ingrediente (não apenas "feita com" sumos) e verifique se há adoçantes e calorias. Muitos desses produtos não são melhores do que beber água com açúcar. Mesmo 100% da fruta, por exemplo, pode elevar o nível de açúcar no sangue e promover o ganho de peso, assim misture-o com água, ou chá verde, para abaixar a carga glicêmica.

4. Refrigerantes. Simplesmente não há nada de nutritivo em refrigerantes. Quer mais saúde? Se você tem o hábito de tomar refrigerante todos os dias, tente substitui-lo aos poucos por bebidas mais saudáveis, notará a diferença.

Bebidas são excelentes opções quando inseridas de forma correta no cardápio. Aposte nas bebidas saudáveis, busque saúde!

Por Greice Caroline Baggio.

DIETA E ALTERAÇÕES NO pH.

3 comentários
O pH, que é uma abreviatura para "poder do hidrogênio", é uma unidade de medição de acidez e alcalinidade de uma solução. É numericamente igual a 7, para soluções neutras, que aumenta com o aumento da alcalinidade (alcalinidade 14 = máximo) e diminuindo com o aumento da acidez (0 = acidez máxima). A urina, sangue, saliva, sucos digestivos e os fluidos dentro e fora do organismo têm cada um um nível de pH ideal...

Em repouso, o pH do sangue normal de um ser humano é ligeiramente alcalino, com pH em torno de 7,4 na escala de pH. Qualquer coisa acima desse valor é considerado alcalino, qualquer coisa abaixo é descrito como ácidas. Ambos, em seus extremos, estão com risco de vida para o corpo humano, se o pH cai abaixo de 6,8 ou acima de 7,8 aumenta, as células do corpo funcionam corretamente.

O nível de pH, a medição do ácido-alcalino do nosso corpo, afeta todas as células do corpo. Um constante desequilíbrio do pH não será tolerada pelo nosso sistema interno e processo metabólico, ocorrendo alterações em órgãos vitais. Ambos dependem de um ambiente alcalino saudável através do equilíbrio do pH. Ao consumir alimentos que contruibuem à acidez no organismo, há o crescimento de bactérias, fungos, leveduras e outros microorganismos, que pode resultar em obesidade, alergias, fadiga e outras condições.

Os alimentos que consome estão entre os meios para alcançar o equilíbrio do pH. Cerveja, frituras, carnes em demasia, em especial a carne bovina, refrigerantes, estão entre os alimentos que contribuem à acidez e devem ser evitados se você quer equilíbrar o pH do sangue. Sendo o excesso de proteína animal, mais significante na alteração do pH.
Aguarde novas postagens sobre o assunto.

Você mantém sua dieta em base ao equilíbrio do pH? Tem maiores detalhes para acrescentar? Escreva! Deixe seu comentário!

Fonte: Parte do texto traduzido em balance pH.
Por Greice Caroline Baggio.

EVITE A DEPRESSÃO, MELHORE SEU ASTRAL E HUMOR!

0 comentários
Dicas valiosas à saúde física e mental.
Há mais e mais pesquisa indicando que, em alguns aspectos, comida e humor estão ligados. Além dos erros simples na dieta que levam ao baixo astral e baixo açúcar no sangue, o sobe e desce do índice glicêmico, as restrições graves podem levar à deficiência dos neurotransmissores - substâncias químicas cerebrais que regulam o comportamento.

O corpo fabrica os neurotransmissores como a dopamina, endorfina, glutamina e serotonina para o qual ele usa certos nutrientes como aminoácidos, minerais, ácidos graxos, proteínas e carboidratos. Dieta restrita e carências nutricionais podem levar à deficiência desses produtos químicos levando à ansiedade e depressão...
Algumas dicas para evitar que isso ocorre, bem como evitar baixa energia em seu organismo:

1. Muitas oscilações no nível de açúcar no sangue pode ser uma causa de depressão. Portanto, procure manter o nível de açúcar no sangue estável comendo pequenas refeições saudáveis ​​distribuídas ao longo do dia. Não pule refeições, especialmente o café da manhã. [...] Opte por carboidratos complexos, como grãos integrais, frutas e legumes. Eles proporcionam um suprimento constante de açúcar na corrente sanguínea e, consequentemente, o seu nível de açúcar no sangue não terá grandes oscilações.

2. Evite dietas restritas em gorduras. Seu corpo precisa de uma certa quantidade de gordura para manter o humor e para a produção normal de neurotransmissores. Certifique-se de uma boa ingestão de monoinsaturados, e evitar o excesso de gorduras saturadas gorduras como manteiga, margarina. Além disso, começar a abundância de ômega 3. Recentemente, alguns estudos têm revelado que o déficit de ácidos graxos ômega 3 estando associados com depressão. Você pode obter ômega 3 de peixes gordos (salmão, atum, cavala e sardinha), semente de linhaça e nozes.

3. Mantenha frutas e legumes frescos como grande parte de sua dieta saudável. As pessoas deprimidas apresentam, muitas vezes, deficiências em vitaminas e minerais. Obter o suficiente de vitamina B6 (de carne, peixe, banana, batata e cereais integrais), vitamina B12 (frango, peixes), ácido fólico (vegetais de folhas verdes, laranjas, lentilhas, grãos, ervilhas, nozes e sementes ), vitamina C (todas as frutas cítricas e vegetais) e zinco é essencial para o seu corpo para produzir neurotransmissores que regulam o humor.

4. Quando você está sentindo para baixo, experimente comer uma refeição rica no aminoácido triptofano, como frango, peito de peru ou de leite. O triptofano é usado pelo corpo para produzir serotonina. Você também pode adicionar carboidratos para sua melhor absorção, por exemplo - legumes ou uma fatia de pão integral.

5. Limite o consumo de álcool, café e outras bebidas com cafeína. O alto consumo de cafeína tem sido associada à depressão em poucos estudos. Assim, como o álcool, interferindo no humor, sono e motivação.

6. Evite dietas restritivas, ou que excluem de forma insensata grupos alimentares importantes, por exemplo, dieta das proteínas. 

7. O exercício é uma boa forma de ativar o corpo e a mente. As endorfinas liberadas durante o exercício parece ter um efeito na elevação do humor. Ocupar-se, pelo menos, 20 minutos em uma atividade física, esporte ou exercício físico. Isto ajuda a reduzir a gravidade dos sintomas de ansiedade.

Fonte: Parte do texto traduzido em life mojo, 7 Diet Tips to Prevent Depression, nov 2010.

Procure realizar atividades que tragam paz e felicidade, seja criativo, mantenha disciplina, e vez que outra saia da rotina. Agregue todas as ferramentas possíveis ao seu bem-estar! Sinta-se mais jovem e mantenha atitudes jovens, independente de sua idade. Persista na motivação e otimismo para enfrentar os desafios.
Por Greice Caroline Baggio.

9 EXCELENTES ALIMENTOS ANTIINFLAMATÓRIOS.

3 comentários
A inflamação crônica é a causa de muitas doenças, incluindo artrite reumatóide, aterosclerose, e muitas outras doenças. Antiinflamatórios têm efeitos colaterais, especialmente quando usados à longo prazo. A boa notícia é que muitos alimentos têm propriedades antiinflamatórias e alguns deles funcionam melhor que remédios, mas sem os efeitos colaterais. 

Aqui está uma lista de 9 alimentos antiinflamatórios para você incluir em sua dieta:

Salmão
O salmão é uma das melhores fontes de ácidos graxos ômega-3 que são pesos pesados ​​na luta contra a inflamação. Os ômega 3 são utilizados para tratar uma ampla gama de doenças inflamatórias, doenças do coração, bem como a doença de Alzheimer a doenças auto-imunes. Outros peixes como a sardinha, anchova, cavala e também são antiinflamatórios.

Cúrcuma
A curcumina em cúrcuma (ou açafrão-da-terra) é um poderoso antiinflamatório.

Cerejas
As cerejas são um dos mais potentes antiinflamatórios da natureza, devido às antocianinas. Pesquisadores descobriram que impedem os danos dos radicais livres e inibir enzimas ciclooxigenase melhor do que muitas drogas antiinflamatórias.

Azeite de oliva extra-virgem
O azeite de oliva contém ácido alfa-linolénico (ALA), um tipo de ômega 3 que é um potente antiinflamatório. Note que você não deve cozinhar com azeite, mas deve consumir in natura, frio, por exemplo, em saladas ou regados, depois que a comida estiver cozida. Para cozinhar, utilize outros óleos que podem ser aquecidos à temperaturas elevadas, como óleo de coco.

Abacate
Os abacates contêm muitos compostos diferentes que combate a inflamação .Isso inclui os carotenóides, fitoesteróis, gorduras insaturadas, como ácidos graxos ômega 3 que trabalham em conjunto no processo antiinflamatório. 


Gengibre
Gengibre não é apenas um analgésico antiinflamatório natural, mas também foi mostrado para proteger o estômago contra os efeitos dos analgésicos. Beber chá de gengibre é uma ótima maneira para as pessoas com artrite.

Alho
O alho pode reduzir a inflamação e dor no corpo, graças aos compostos de enxofre que contém.

Mirtilos
Um composto chamado antocianina em mirtilos, blueberries, é responsável por suas propriedades antiinflamatórias.

Mamão
Mamão contém enzimas chamada papaína e quimopapaína que foram demonstradas para reduzir a inflamação no corpo. Mamão também contém uma grande riqueza de vitaminas, incluindo C e E, que atuam contra processos inflamatórios. 

Fonte: Parte do texto traduzido em health diaries, 10 Anti-Inflammatory Foods.
Por Greice Caroline Baggio.

6 DICAS À DIETA ANTI-CÂNCER. DICA Nº1.

1 comentários
Você pode permitir que seu sistema imunológico
combata doenças fazerendo escolhas alimentares inteligentes.
A evolução do câncer vêm muitas vezes dos resultados de um estilo de vida pouco saudável. Há uma série de práticas saudáveis, como parar de fumar e beber bebidas alcóolicas, fazer exercício e manter uma dieta saudável, que pode reduzir o risco de desenvolvimento de células cancerígenas. Mas a melhor maneira de colocar um estilo de vida anti-câncer é incluir alimentos anti-câncer em sua dieta diária.

Existem alimentos que favorecem o câncer e por isso estas devem ser excluídos dos seus hábitos alimentares. Você pode permitir que seu sistema imunológico combata doenças fazerendo escolhas alimentares inteligentes. Aqui está à primeira dica para compor sua dieta anti-câncer:

DICA Nº1. Alimentos vegetais
A lista de alimentos vegetais típicos incluem grãos integrais, frutas, legumes e oleaginosas, como as nozes. Estes alimentos são ricos em fibras e antioxidantes que ajudam na neutralização dos radicais livres no corpo. Esses radicais livres são responsáveis ​​pelo desenvolvimento do câncer. A porção de dois terços do seu prato deve ser composto de vegetais ou frutas, enquanto você deve limitar o consumo de produtos lácteos, peixe e carne para a parte restante de um terço. Alimentos integrais são melhores opções. Os alimentos processados ​​carecem de nutrientes e, portanto, são ineficazes no combate ao câncer. Estas são as maneiras pelas quais você pode adicionar vegetais em sua dieta:

• Tente: Para o desjejum e almoço: Desfrute de frutas, como cerejas, morangos, mirtilos, melões, mamões e oleaginosas como as nozes e amêndoas, além da aveia pela manhã. Preencha seu sanduíche com alface e outroa folhas verde-escuras e tomate. Já nas saladas inclua leguminosas como feijão, ervilha... Utilize pão integral para fazer sanduíches. Adicione as cenouras e frutas, em seu prato.

• Tente: Para Jantar: Macarrão integral com legumes frescos. Uma batata cozida vai bem com molho de iogurte, brócolis e salsa. Substitua os molhos calóricos, por molho de tomate caseiro preparado com azeite de oliva. Á sobremesa vai muito bem as frutas ou desfrutar de um pedaço de chocolate amargo.

Os alimentos orgânicos são melhores opções, sendo melhor consumir produtos locais que são menos susceptíveis de conter substâncias cancerígenas.

Fonte: Parte traduzido em 6 Tips For An Anti-Cancer Diet, Life mojo,
Por Greice Caroline Baggio.

RAZÕES PELAS QUAIS VALE A PENA COMPRAR ORGÂNICOS.

domingo, 27 de março de 2011 0 comentários

...bom para o ambiente, bom para você e bom
para a agricultura familiar de pequena
escala que cresce ainda mais.
 Em um mundo perfeito, todos os alimentos que compramos seriam orgânicos. Infelizmente, vivemos em um mundo onde temos que pagar um preço maior para comprar alimentos orgânicos. Nos últimos anos, o debate biológico versus não-biológico se tornou um dos mais animados do mundo de alimentos:

Alimentos orgânicos, vale a pena pagar mais por eles? Neste artigo, vamos analisar razões pelas quais vale a pena comprar orgânicos. Em poucas palavras, o alimento orgânico é bom: bom para o ambiente, bom para você e bom para a agricultura familiar de pequena escala que cresce ainda mais.

Saúde e sustentabilidade 
Alimentos orgânicos são produzidos com base em um sistema de agricultura que tem, na sua essência, um compromisso fundamental com a saúde humana de saúde, bem estar animal e sustentabilidade ambiental. Na agricultura biológica métodos são adequados para manter e repor a fertilidade do solo sem a utilização de qualquer tóxicos persistentes ou insumos químicos. De acordo com o National Organic Standards Board, que é voltado para restabelecer e reforçar os ciclos biológicos e a harmonia ecológica.

Zero resíduos químicos
Alimentos orgânicos não contém resíduos químicos tóxicos, como pesticidas, metais pesados ​​e fertilizantes sintéticos. Testes realizados pelo USDA mostram que a maioria não-orgânico (frutas e verduras) têm agrotóxicos residual, mesmo depois de serem lavados ou descascados. Quando os pesticidas são utilizados, eles são absorvidos na fruta inteira, e como tal, são impossíveis de remover.

Com a sua tolerância zero para os produtos químicos sintéticos, a agricultura biológica ajuda a proteger os recursos hídricos essenciais de contaminação. De acordo com estimativas da Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA), pesticidas provenientes da agricultura industrial contaminou as águas subterrâneas em 38 estados, poluindo a principal fonte de consumo de água para mais da metade da população do país.

Uma escolha mais saudável
Há crescente evidência de que alimentos orgânicos tem uma maior densidade de nutrientes do que alimentos produzidos comercialmente. Isto porque os animais criados organicamente, como galinhas ao ar livre e bovinos alimentados com capim, vivem em um ambiente mais saudável, natural e normalmente comem uma variedade muito maior de nutrientes... Estes animais mostram-se significativamente mais saudáveis ​​do que aqueles que são criados em fazendas industriais.

(apresentavam maior concentração de nutrientes como fibra alimentar, proteína e minerais como ferro, potássio e selênio...)

Além disso, os alimentos orgânicos sofrem o mínimo de processamento, de modo a manter a integridade do alimento. A adição de ingredientes sintéticos industriais, tais como conservantes, sabores artificiais, corantes alimentares ou irradiação é estritamente proibida.

Agricultores Orgânicos
Ao comprar orgânicos, você apoia a pequena agricultura familiar que produz alimentos orgânicos, não só apoia a sua subsistência, como também os benefícios das economias locais. Métodos orgânicos, que são mais trabalhoso do que a agricultura convencional, criam oportunidades de emprego para as comunidades rurais.

Fonte: Parte do texto traduzido, Five reasons why it pays to buy organic, em natural news, (artigo de 22/03/11) autor Armchair Herbalist.

CURITIBA E ORGÂNICOS.

0 comentários


O mercado nasceu para incentivar o plantio e o
consumo sem agrotóxicos e também para evitar a
contaminação dos rios que abastecem a cidade.
 Em Curitiba, já existe até uma espécie de shopping center só para a categoria de produtos orgânicos.

No mesmo lugar, você encontra restaurante, mercearia, açougue, roupas, verduras. Tudo sem produtos químicos. É um mercado diferente, o único mercado municipal só de orgânicos do país. Nele, quem vende tem clientes fiéis e quem compra encontra uma variedade de produtos. A experiência que está dando certo é uma aposta para um futuro melhor para a cidade.

O mercado nasceu para incentivar tanto o plantio quanto o consumo sem agrotóxicos e, assim, evitar a contaminação dos rios que abastecem a cidade.

“Ao redor de Curitiba, a gente tem um cinturão verde da onde vem praticamente todas as hortaliças que nós consumimos no município, mas é também o lugar de onde vem praticamente toda a água que nós consumimos. Então, existia sempre uma preocupação muito grande com a qualidade dessa água, não só para hoje, mas uma visão futura”, afirma Marcelo Munaretto, diretor de unidades de abastecimento de Curitiba.

O administrador Marcos Mews vai ao mercado matar a saudade. Para ele, comer um alimento orgânico é resgatar os sabores da infância. “O sabor de antigamente, quando você plantava na sua casa, na sua horta. Isso dá o diferencial, é esse o gosto que você sente”, comenta.

Quem sabe essa volta ao passado não é o caminho para o futuro?
O mercado nasceu para incentivar o plantio e o consumo sem agrotóxicos e também para evitar a contaminação dos rios que abastecem a cidade.

Fonte: G1, Curitiba possui o único mercado municipal do país só de orgânicos, Edição do dia 25/03/2011.

DEPENDÊNCIA? COMPULSÃO?

0 comentários
A chave para curar o vício por comida poderia
estar no equilíbrio dos neurotransmissores no cérebro.
A maioria das pessoas pensa em termos de dependência, em alcoolismo ou drogas, além do sexo, mas com a questão do aumento da obesidade em todo o mundo, é importante tomar nota que o alimento pode ser igualmente viciante.


Há muito tempo que se determinou que junk food não é saudável, mas não há provas suficientes para sustentar que os maus hábitos alimentares podem afetar seu cérebro. Sim, batatas fritas e chocolates podem alterar o seu cérebro em maneiras que você nunca imaginou.

A incapacidade de resistir a certos alimentos pode levar a sentimentos de falta de controle ou a "escravidão" (dependência) para comer, que é de fato um acréscimo: a escravidão torna-se um hábito.

A chave para curar o vício por comida poderia estar no equilíbrio dos neurotransmissores no cérebro. Quando estes estão fora de equilíbrio, você pode sentir-se deprimido, ansioso, irritado, etc. Seu cérebro irá começar a mandar sinais ao corpo que ele precisa mais, e você vai desejar alimentos que afetará diretamente os neurotransmissores. Um grande exemplo disso é o açúcar. Quando os níveis de serotonina estão baixos, muitas pessoas anseiam por algo doce.


Existem algumas maneiras saudáveis para reduzir o açúcar. Um apoio é o exercício. O exercício diário pode elevar os níveis de dopamina, aumentar o seu humor e reduzir a ansiedade pelo açúcar. Ficar bem hidratado é uma outra maneira de proteger o cérebro dos desequilíbrios. Ao comer, uma boa opção é comer alimentos naturalmente doces, como frutas, verduras e grãos integrais. Comer regularmente ao longo do dia (3 refeições e um lanche) também vai reduzir os desejos pelos doces.

Aqui está uma lista de alimentos que podem ajudar a manter níveis de dopamina:
■ frango
■ peixes
■ produtos lácteos
■ amêndoas
■ abacates
■ bananas
■ leguminosas
■ produtos de soja
■ abóbora
■ sementes de gergelim
Se você está começando a ficar com a sensação de que você está perdendo o controle sobre o que consome, [...] você pode fornecer ao seu cérebro substâncias de que necessita para restaurar o seu funcionamento normal, muitas vezes sem o uso de medicamentos.

Fonte: Parte do texto traduzido por Dr. Carolyn Coker Ross, MD MPH, autora, oradora e especialista na área de Transtornos Alimentares. Atualmente tem um consultório particular especializado no tratamento de transtornos alimentares, vícios, e obesidade. Seu último livro foi The Binge Eating and Compulsive Overeating Workbook (A compulsão periódica e comer compulsivo), (New Harbinger Pub/ Jul 2009).

A compulsão e demais transtornos alimentares são assuntos complexos, que exigem cautela, estudos nos ajudam à entender o que ocorre no cérebro e organismo como um todo. Aos primeiros sinais de dependência ou compulsão, busque ajuda, autoconhecimento e autocontrole, leia mais sobre o assunto, mantenha alimentos saudáveis por perto. Note que apreciar um que outro alimento e/ou ter preferência, é diferente de ter compulsão ou dependência. Cuide-se!

PORQUE O CHOCOLATE É BOM PARA O CORAÇÃO? A EVIDÊNCIA CIENTÍFICA.

sábado, 26 de março de 2011 0 comentários
APRECIE. OS ESTUDOS MOSTRAM AS
CONTRIBUIÇÕES DO CACAU AO CORAÇÃO.
(NaturalNews) Chocolate. É ruim para nós, certo? Nem perto disso. A lista de benefícios cardiovasculares do consumo de cacau é extensa e bem documentada na literatur. Além disso, um estudo recente, 2011, no Journal of Agricultural and Food Chemistry, demonstrou o mecanismo que ajuda a explicar alguns dos efeitos saudáveis ​​do chocolate ao coração [1].

Antes de olharmos para esta nova pesquisa, vamos rever alguns dos amplos benefícios do chocolate, como mostra a literatura. A base científica para que o consumo de chocolalte e saúde é mais abundante do que a maioria das pessoas imaginam.
Chocolate
-Inibe a oxidação da LDL [2]
- Melhora a função endotelial [3]
- Inibe a ativação das plaquetas [4]
- Reduz o LDL [2]
- Aumenta o HDL [5]
- Aumenta a sensibilidade à insulina [6]
- Reduz à inflamação [7]
- Diminui a pressão arterial [8]

Estes múltiplos benefícios são provavelmente mediante o teor de polifenóis do cacau, mais especificamente o flavanóides (particularmente as epicatequina e catequina) e procianidinas. Polifenóis como a epicatequina, catequina, e procianidinas estão também presentes no chá, frutas e legumes e vinho tinto.

Estes polifenóis são, sem dúvida são benéficos para a saúde cardiovascular. Particularmente, é interessante o efeito do chocolate sobre o LDL e HDL. A nova pesquisa mencionada no início deste artigo tem demonstrado que os polifenóis do cacau aumentam a atividade do receptor de LDL, o que diminui ApoB - a principal proteína em partículas de LDL. Além disso, os polifenóis, aparentemente, ativam os genes que aumentam os níveis de ApoA1, a principal proteína que compõe as partículas de HDL. Isso ajuda a explicar por que o chocolate tem sido mostrado para reduzir LDL e aumentar o HDL.

A relação ApoB/ApoA1 provou ser um sensível marcador de risoc de doença cardiovascular... De fato, no estudo INTERHEART, a relação ApoB/ApoA1 mostrou ser um indicador mais preciso do risco cardiovascular do que qualquer outro fator - até mesmo de fumar [9].

O estudo INTERHEART examinou as correlações entre as diferentes proporções de ApoB/ApoA1 com as probabilidades de ter um ataque cardíaco... [10].

Ao consumir o chocolate regularmente, pode-se ter um impacto favorável da relação ApoB/ApoA1, enquanto ao mesmo tempo reduzir a pressão arterial, reduzindo a inflamação, inibindo a oxidação do LDL, e muito mais. Desde que o chocolate é uma delícia, deve ser uma tarefa fácil incorporar na dieta... Cacau em pó pode ser adicionado a bebidas ou shakes de proteína, ou uma pequena quantidade de uma barra de chocolate amargo pode ser apreciado... A presença de açúcar neutraliza os efeitos benéficos [11], no entanto, o chocolate com redução de açúcar - o chocolate escuro, 75% cacau ou mais é o melhor.

Referências:

Fonte: Este foi parte do texto traduzido em natural news, autor David Rostollan.

VITAMINA D, SEUS BENEFÍCIOS E NOVAS REMENDAÇÕES.

0 comentários
IOM RECOMENDAÇÕES ATUAIS DE CÁLCIO E VITAMINA D.
Cálcio e vitamina D são dois nutrientes essenciais à saúde óssea. Ao longo dos últimos dez anos, o público ouviu mensagens conflitantes sobre outros benefícios desses nutrientes, especialmente a vitamina D e também sobre o quanto o cálcio e vitamina D é necessário à saúde.

As novas recomendações incluem o cálcio, mas aqui vamos falar da vitamina D; necessária à absorção do cálcio, formação óssea e fortalecimento do sistema imune, a vitamina D é descrita como um pró-hormônio, atuando no intestino para aumentar a absorção de cálcio e fósforo, nos ossos aumentando a reabsorção de cálcio e fosfato, nos rins, reduzindo a perda de cálcio pela urina.

Como você sabe, a vitamina pode ser proveniente não só da dieta, como também à exposição à luz solar. A quantidade de exposição solar suficiente varia muito de pessoa para pessoa.

Portanto, foi estabelecido novas DRIs para a vitamina D, e determinado que indivíduos precisam, em média, 400 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia (ver tabela para a Ingestão Diária Recomendada de valores suficientes para atender todas as idades). Pessoas de 71 anos e mais velhos podem exigir até 800 UI por dia por causa de possíveis mudanças no corpo das pessoas à medida que envelhecem.

Níveis baixos de vitamina D em crianças estão associados à alergias, segundo o estudo com publicação no Journal of Allergy and Clinical Immunology realizado por pesquisadores do Albert Einstein College of Medicine of Yeshiva University.
Leia no blog as razões para você OTIMIZAR A VITAMINA D.


Fonte: IOM EDU.
Por Greice Caroline Baggio.

7 SINAIS DE DEFICIÊNCIA DE IODO.

quinta-feira, 24 de março de 2011 1 comentários
IODO indispensável à função da tireóide.
A deficiência de iodo é um problema grave no mundo em desenvolvimento, mas não distante de países desenvolvidos. Os hormônios da tireóide, chamados de T4 (tiroxina) e T3 (triiodotironina), possuem iodo em suas estruturas, essenciais no controle da taxa metabólica, bem como regulação do ritmo cardíaco, pressão arterial, peso e temperatura corporal.

No Brasil, somente após o ano 1995 é que todo o sal passou a ser iodado, em concentrações fixadas pelo Ministério da Saúde. Entre as crianças, a deficiência de iodo pode levar à deficiência mental, dificuldade de aprendizado, acarretando em baixo desempenho escolar.

Se você está tendo algum dos sintomas abaixo, aconselha-se medir seus níveis de iodo e avaliar as funções da tireóide. 

Hipotireoidismo
Níveis baixos de iodo pode levar ao hipotireoidismo. Isso acontece porque o iodo regula hormônios tireoidianos no organismo.

Fadiga
A fadiga é um sintoma comum de deficiência de iodo e hipotireoidismo, bem como alterações do sono.

Ganho de Peso
Baixos níveis de iodo pode causar ganho de peso. O ganho de peso pode ser um dos primeiros sinais de hipotireoidismo.

Depressão
Assim como fadiga e ganho de peso, a depressão é um sintoma comum no hipotireoidismo (causado por deficiência de iodo).

Bócio
O bócio pode ocorrer por muitas outras razões, mas a deficiência de iodo está entre as causas mais comuns em todo o mundo.

Doença Fibrocística da mama
Doença benigna, comum em mulheres entre 30 e 50 anos, caracterizada pela formação de cistos contendo líquido, fibrose e outras alterações.
Pesquisas indicam que a deficiência de iodo (ou redução da função da tireóide) pode ser responsável pela doença fibrocística da mama, uma condição dolorosa, mas benigna, que pode piorar com alterações hormonais. O iodo pode diminuir a sensibilidade do tecido mamário aos estrógenos.

Complicações na Gravidez
Durante a gestação salienta-se a importância de ferro e ácido fólico, entretanto o iodo segue de extrema relevância. A deficiência de iodo em mulheres grávidas pode levar a complicações, incluindo aborto, parto prematuro e defeitos de nascimento.

As fontes de iodo incluem o sal iodado, sardinha, atum, ostras, salmão, algas marinhas...

Fonte: Parte do texto traduzido em Health diaries.
Por Greice Caroline Baggio.

ALIMENTE SEU CÉREBRO. PARTE II.

quarta-feira, 23 de março de 2011 0 comentários

OXIGÊNIO, CARBOIDRATOS, GORDURA E PROTEÍNA.

Para funcionar otimamente o cérebro necessita de um apoio nutricional de duas maneiras: Primeiro é alimentação adequada e, a capacidade de receber e responder à alimentação adequada.




Você leu a postagem alimente seu cérebro parte I? Esta está complementando-a.

O cérebro precisa de quatro tipos básicos de alimentação de oxigênio, a glicose (açúcar no sangue), gordura e proteína. Vejamos como a GORDURA e a PROTEÍNA promovem impactos a saúde e funcionamento do seu cérebro:

Gordura
O cérebro constitui-se de 60% de gordura. Cada um de seus neurônios (células cerebrais) é isolado por uma camada de gordura. Então não é nenhuma maravilha que seu cérebro precisa de gordura para a alimentação. No entanto, a qualidade da gordura que você dá a ele determina a qualidade dos componentes do cérebro. Por isso, é importante comer de forma saudável, óleos vegetais, como o azeite. 
 
Como para qualquer alimento, as gorduras devem ser de qualidade, consumida com moderação, e em equilíbrio com relação ao resto da dieta, e necessidades do indivíduo. Dietas pobres em gorduras podem reduzir os ácidos graxos essenciais e colesterol no organismo em demasia, levando à transtornos de humor. Excesso de gordura, por outro lado, especialmente em crianças, pode levar ao déficit de inteligência.

Tente: Incluir nozes, vegetais de folhas verdes, sementes de gergelim, amêndoas...

Proteína
Embora a proteína adequada não é um problema para a maioria, os vegetarianos precisam prestar atenção para conseguir proteína suficiente, especialmente ao nível maior de exercício físico. Outro grupo que precisa atender a ingestão de proteínas são mulheres que realizam dietas reduzidas em gordura e não comem alimentos ricos em proteínas que (contêm mais gordura) como carnes e laticínios, na tentativa de perder peso.

O cérebro também precisa de proteínas, especialmente certos aminoácidos, tais como triptofano, tirosina e cisteína. Os dois primeiros aminoácidos são essenciais para a produção de neurotransmissores, como a dopamina e a serotonina, enquanto que a cisteína é um ácido essencial necessário para uma desintoxicação do cérebro (e corpo) de determinados produtos químicos e metais pesados.

Tente: O tofu e outros produtos de soja, incluindo o tempeh, que são fermentados, bem como uma grande variedade de legumes, laticínios, nozes e sementes.

Fonte: Este foi parte do texto traduzido de Lancy Lonsdorf, MD.
Por Greice Caroline Baggio.