Google Analytics Alternative

PESQUISAS SOBRE OS BENEFÍCIOS DO RABANETE.

segunda-feira, 30 de março de 2015 0 comentários
A raiz originária da região do Mar Mediterrâneo, historicamente sempre foi bastante apreciada no Egito, na Grécia e em Roma. Atualmente ela é muito utilizada e valorizada na culinária asiática. Na Europa também tem o seu valor, mas infelizmente no Brasil não é igual. Seu consumo ainda não é dos mais significativos.

Em documentos sobre as hortaliças, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Hortaliças informa que o rabanete é fonte de vitamina C, fósforo e fibras e que, por possuir poucas calorias, é recomendado para pessoas em dietas de emagrecimento.

A nutricionista Mirian Martinez, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, considera o alimento essencial para quem quer prevenir ou tratar a esteatose hepática. “Essa raiz tem uma essência responsável pelo sabor picante, que aumenta a secreção da bile pelo fígado”, afirma.

A enzima diatase é destaque no alimento pelo fato de ajudar na digestão dos amidos. Mas o rabanete traz outros benefícios à saúde, por conter fibras, vitamina C e minerais como potássio e fósforo. Suas substâncias antioxidantes, como a luteína e a zexantina, fazem dele um forte defensor da pele e combatente ao envelhecimento precoce. Então, da próxima vez que for ao mercado ou à feira, olhe com mais atenção para esta raiz.

Modo de usar: o rabanete deve ser consumido com casca e de diferentes maneiras. A melhor delas é crua, para o aproveitamento de todos os seus nutrientes. Sozinho ou acompanhado de outros legumes ou verduras e até frutas, como o kiwi, ele aparece mais em saladas. Quando cozido, seu sabor é menos picante, e integra bem pratos mais elaborados, como risotos, frangos e salpicão. O consumo pode ser diário em diversificados preparos, mas deve marcar presença à mesa pelo menos três ou quatros vezes por semana.

No exército de combate ao câncer de mama
Uma pesquisa realizada conjuntamente pelas universidades Flórida A&M e Texas A&M (EUA), mostrou que novos compostos sintetizados a partir de vegetais, entre eles o rabanete, podem combater o câncer de mama triplo-negativo, um tipo raro e agressivo da doença que é caracterizado por ter os três receptores (estrógeno, progesterona e her2) negativos, dificultando o ataque à doença com medicamentos, por não ter um receptor identificado. Apresentado em 2012 em um congresso farmacêutico nos Estados Unidos, o estudo mostrou que os compostos sintéticos derivados de vegetais que contêm a substância diindolilmetano (DIM) têm ação anticancerígena e são uma esperança na briga contra os tumores triplo-negativos.

ÔMEGA 3 TRAZ BENEFÍCIOS À PRÁTICA DESPORTIVA.

sábado, 28 de março de 2015 0 comentários
O tema desta semana é sobre o ômega 3, uma gordura poliinsaturada que precisa ser ingerida através da alimentação por não ser sintetizada pelo organismo. Ele está presente na forma de ácido alfa-linolênico, ácido eicosapentanoico(EPA) e ácido docosahexanoico (DHA). Os alimentos mais ricos em ômega 3 são os peixes de águas profundas: salmão, arenque, atum, sardinha, truta, cavala.

O ácido alfa-linolênico está presente nos óleos de linhaça e canola e vegetais, como o agrião, a couve, a alface, o espinafre e o brócolis. São também boas fontes: chia, linhaça (óleo, semente e farinha), vegetais verde escuros (couve, espinafre e rúcula), castanha do Brasil e nozes e, em menores quantidades, o óleo de soja e o de canola.

Funções importantes do ômega 3
- Antioxidante, importante para redução de radicais livres
- Antiinflamatório
- Vasodilatador
- Previne agregação plaquetária
- Anti-cancerígeno
- Reduz sintomas da TPM
- Melhora concentração, memória e performance cerebral, sendo indicado no tratamento da
depressão, demência e Alzheimer (prevenção e tratamento)
- Atua no crescimento e desenvolvimento do feto e bebê

Nos países ocidentais há pequena ingestão de alimentos fontes de ômega 3. É indicado ingerir peixes pelo menos duas vezes por semana e acrescentar diariamente a dieta uma colher de sopa de farinha de linhaça dourada e duas castanhas do pará ou três nozes.

A suplementação de ômega 3 traz benefícios, mas deve ser indicado por nutricionista ou médico para que seja escolhido o tipo a ser suplementado:

- Utiliza-se 1g para manutenção da saúde e 2g para indivíduos com colesterol elevado (maior concentração de EPA do que DHA).

- Para indivíduos ativos, que fazem exercício físico regularmente com intensidade moderada, é indicada a suplementação de 2g de ômega 3 e em atividades de alta intensidade 2 a 4g, para prevenir ou atenuar inflamação muscular e nas articulações.

- Na gravidez e lactação é indicado suplementar 1g, maior concentração de DHA do que EPA.

Fonte: Globo Esporte

PEIXES: NUTRITIVOS E VERSÁTEIS.

0 comentários
Não tem quem não saiba que o peixe é um alimento nutritivo e deve ser consumido, pelo menos, duas vezes por semana, intercalando com outros tipos de carnes como, bovina, suína e aves. Mas, apesar da grande extensão do litoral brasileiro, a ingestão de peixes no Brasil ainda é muito pequena.

Para que a alimentação fique mais rica e nutritiva, deve ser incentivado o consumo de peixe visando a diminuição da ingestão de ácidos graxos saturados e o aumento de poliinsaturados ômega 3, vitaminas e minerais.

A seguir, você conhecerá as principais vantagens para a saúde obtidas através dos nutrientes presentes nos peixes.

Os peixes são ricos em proteínas de alta qualidade.
Por serem ricos em aminoácidos essenciais (substâncias não produzidas pelo nosso organismo), os peixes possuem proteínas com valor nutritivo ligeiramente superior às das carnes vermelhas (como as de boi e porco). Além disso, as proteínas dos peixes são de alta digestibilidade, favorecendo o processo de digestão.

Em geral, os peixes possuem menos gordura que a maioria das carnes bovinas e suínas.

A porcentagem de lipídeos (gorduras) da maioria dos peixes encontra-se entre 0,2 a 23,7%. Essa quantidade varia de acordo com a espécie, sexo, idade, tipo de alimentação, estação do ano (verão ou inverno) entre outros fatores. Assim, eles podem ser classificados em:

Baixo teor de gordura: menor que 2%

Médio teor de gordura: de 2 a 5%

Alto teor de gordura: acima de 5%

Os peixes de carne clara como, por exemplo, bacalhau, badejo, corvina, carpa, dourado, garoupa, linguado, pescada; apresentam menor quantidade de lipídeo que os de carne escura como, por exemplo, atum, anchova, arenque, bagre, cavala, sardinha, salmão, tainha.

Os peixes são ricos em ômega 3.
O tipo de gordura predominante nos peixes é a poliinsaturada diferentemente das carnes vermelhas, as quais contêm uma alta proporção de gordura saturada. A do tipo saturada, quando consumida em grande quantidade, pode ser prejudicial para o coração.

Dentre as "famílias" de gordura poliinsaturada, destaca-se o ômega 3, devido aos grandes benefícios proporcionados à nossa saúde, como: diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares e acidente vascular cerebral (derrame), redução da pressão arterial, ação anti-inflamatória, diminuição das taxas de triglicérides e colesterol total no sangue.

O ômega 3 está presente, em maior quantidade, nos peixes de águas salgadas e frias, como: atum, arenque, bacalhau, sardinha e salmão. Os de águas doces, também apresentam ômega 3, mas em quantidade muito inferior quando comparados aos primeiros.

Os peixes são boas fontes de vitaminas e minerais.
Eles apresentam boas concentrações de vitaminas lipossolúveis (solúveis em gorduras), como A, E e, principalmente, D. Também são ricos em vitaminas hidrossolúveis (solúveis em água) como niacina - presente nas reações químicas de liberação de energia em nosso corpo - e ácido pantotênico - essencial no metabolismo de proteínas, carboidratos e gorduras.

Além disso, os peixes contêm vários minerais importantes como, sódio, potássio, magnésio, cálcio, ferro, fósforo, iodo, flúor, selênio, manganês e cobalto.

Os peixes são versáteis.
Outra grande vantagem dos peixes em relação às carnes de boi e porco é a facilidade em seu preparo: os frescos cozinham em pouquíssimo tempo e podem ser usados em diversas preparações, como: ao molho, empanado, assado, ensopado, cozido, grelhado, frito e até mesmo cru - desde que seja proveniente de um fornecedor que possua boas condições higiênico-sanitárias e seja de sua confiança.

Também podem ser adquiridos em conserva (enlatados), resfriados, congelados, salgados (bacalhau) e defumados (arenque, salmão ou truta).

Por causa de todas as vantagens descritas, incluir ou aumentar o consumo de peixes é uma boa atitude para obter os benefícios que os seus nutrientes essenciais fornecem.

REALIZAR EXERCÍCIOS EM JEJUM QUEIMA MÚSCULOS E PRESERVA AS GORDURAS.

0 comentários
A sabedoria do corpo humano não tem limites. O mecanismo de controle de vida e da sobrevivência é um dos que faz da espécie humana uma vitoriosa na adaptação ao longo dos séculos de desenvolvimento. 

Esse controle passa pela eficiência no gerenciamento da energia utilizada para a produção de trabalho dos deslocamentos, para obter comida, reproduzir a espécie e vencer inimigos, isso tudo supervisionado por um cérebro privilegiado que garante as funções vitais, intelectuais e cognitivas. 

Poupar e estocar energia passa, então, a ser crucial para as espécies. A reposição dos estoques e a troca do tecido gasto (catabolismo) por um novo (anabolismo) exige repouso (sono) o que também consume energia. 

Quando estamos acordados o principal combustível para executar as tarefas de sobrevivência é a glicose. Sem ter ingerido alimento, durante a fase de descanso prolongado o organismo vai buscá-la nos depósitos, tecido adiposo estocado para esta ocasião, entre outras. O objetivo é manter seu nível constante em todos os tecidos para as funções diversas que estão sendo executadas. 

O cérebro devidamente suprido por esse combustível, analisando o quadro descrito, seguramente irá somar 2 mais 2: se eu permanecer em jejum após o despertar e fizer exercício, vou queimar gordura e emagrecer! Correto? Não! 

A coisa pode funcionar por um curto período de tempo: com o estoque reduzido de glicogênio pelo longo tempo sem comer, as reservas de energia, o tecido gorduroso, são acionadas para fazer a reposição, pois esta é a substância responsável por manter todas as funções do corpo humano. 

Mas, e sempre temos um "mas", se você está pensando em consumir rapidamente seu pneuzinho de gordura com esse truque, saiba que ele tem validade. Como tudo no funcionamento do corpo humano, a utilização dessa reserva nessas condições foi dimensionada para uma situação de repouso, o sono, já comentado. 

Ao iniciar uma atividade física em jejum, depois de uma noite de sono e, com a lipólise em andamento para produzir glicogênio e glicose, em determinado momento haverá um entendimento normal e fisiológico de que há dificuldade de se achar alimento. Neste momento, as reservas energéticas - a gordura, passará a ser poupada e os músculos, as proteínas, serão recrutadas para o processo de produção de energia. 

Veja que este é um bom caminho para parecer magro, ou seja, ser um falso magro. Ao prolongar o jejum e repetir a atividade com privação de alimentos energéticos, os estoques de gordura serão preservados e os músculos consumidos. Você ficará mais magro, mas mais flácido também. 

Outro fator a ser levado em consideração é o mal estar que a atividade em jejum traz. Tontura, fraqueza, náuseas e vômitos podem ocorrer durante a atividade sem contar que o rendimento que terá a tendência de cair na tentativa de poupar energia. 

O consumo forçado de proteínas para produção de energia também tem seu lado negativo. Desenhado para ser utilizado em emergências, prolongando a sua utilização pode sobrecarregar os rins e fígado durante todo o processo metabólico de uso do músculo para executar o exercício e para o consumo de energia. 

Bem, o que devemos concluir disso tudo? Mais uma vez que não existe fórmula mágica para consumir as gordurinhas indesejadas. Tudo passa pelo bom senso e esse nos diz que dieta equilibrada com atividade física regular e programada é o melhor caminho.

Fonte: Minha Vida

VINAGRE DE MAÇÃ ORGÂNICO.

quinta-feira, 26 de março de 2015 0 comentários
A palavra “vinagre” é oriunda do idioma Francês e significa “vinho agre” ou “vinho azedo”, ainda que ele não seja apenas obtido através do vinho, mas também de outras matérias-primas, como algumas frutas. todos os tipos de vinagre o baixo valor calórico e o fato de que pessoas hipertensas podem utilizar o vinagre como substituto do sal. 

É o vinagre proveniente da fermentação do suco de fruta como maçã. Como os vinagres de vinho, estes também são puros e carregam em sua composição os valores nutricionais das frutas de onde foram originados. Utilizados em temperos e em alguns casos como auxiliares na nutrição, já que possui minerais, vitaminas, enzimas e antioxidantes, que combatem o envelhecimento precoce. 

As propriedades de limpeza do vinagre de maçã tem sido utilizada há séculos. A medicina oriental nos ensina que o vinagre pode ajudar a estimular a circulação e ajuda na desintoxicação do fígado. As culturas antigas, muitas vezes utilizam o vinagre de maçã para purificar o sangue. Hoje, estamos expostos a toxinas mais do que nunca, por isso se tornou ainda mais importante nós cuidarmos de nosso corpo com alimentos naturais medicinais como o vinagre de maçã, sendo que atua como antisséptico e antibiótico. 

O vinagre de maçã, também conhecido como vinagre de sidra, é obtido através da fermentação do suco da maçã inteira, obtendo uma coloração amarelo dourada devido aos taninos e, contem os mesmos compostos químicos presentes na maçã, como aminoácidos essenciais, vitaminas e minerais, sendo considerado até mesmo um remédio, prometendo prolongar a vida e a juventude, desde que ingerido diariamente Ele é composto principalmente por ácido maléico, e contém, entre outros compostos químicos, pectina e betacaroteno, capazes de atacar os radicais livres que interferem na imunidade do corpo humano. O ácido maléico é um importante elemento que apresenta propriedades terapêuticas. 

Um estudo recente da revista científica Journal of Food and Chemistry demonstrou que substâncias presentes no vinagre regulam genes que controlam a eliminação de gordura pelo organismo, ou seja, ameniza os efeitos maléficos do excesso de gordura. O estudo, coordenado pelo cientista Tomoo Kondo, indicou que o índice de massa corporal, a circunferência abdominal e os níveis de triglicérides no sangue são menores em voluntários que ingerem vinagre diariamente. As versões de vinagres de vinho e maçã são consideradas mais puras porque preservam as propriedades da bebida e da fruta até o final do processo de produção. 

Consumir o vinagre de maçã antes das refeições auxilia a digestão e melhora a saúde gástrica, ajudando o organismo a remover os resíduos tóxicos de forma mais eficiente. Quando os alimentos são digeridos completamente e resíduos eliminados rapidamente, o corpo é nutrido e as toxinas são removidas antes que tenham tempo de fazer estragos.

Use o vinagre em pequenas doses ao longo do dia. Muitas pessoas gostam de tomar 1-3 colheres de chá em um copo de água antes das refeições para ajudar na digestão. Outros preferem adicioná-lo à água quente com mel para beber. Você também pode usar vinagre de maçã para fazer molhos saborosos e nutritivos.

Apesar do vinagre de maçã poder desempenhar um papel importante na desintoxicação, será muito mais eficaz quando combinado com um estilo de vida saudável, que inclui, naturalmente, estes hábitos:
- Consuma uma dieta equilibrada que consiste em evitar alimentos processados, os alimentos naturais irão fornecer ao corpo a nutrição de que necessita para se purificar.
- Incluir algumas matérias-primas, como alimentos crus na sua dieta uma vez que contêm enzimas importantes que irão ajudá-lo a desintoxicação.
- Escolha alimentos orgânicos para ajudar a reduzir a sua exposição a toxinas. Tenha em mente que os alimentos processados ​​de todos os tipos devem ser evitados, mesmo que sejam rotulados como orgânicos.
- Exercite-se regularmente para melhorar a saúde dos sistemas circulatório e linfático.
- Reduza a exposição à toxinas, utilizando produtos de limpeza e produtos de beleza naturais. 
- Beba somente água filtrada para evitar a exposição à toxinas. A abundância de água pura também ajudar nos processos de desintoxicação natural do organismo.

10 QUESTÕES INTERESSANTES SOBRE O VINAGRE:

1) Conhecido especialmente pelo uso como condimento, o vinagre também pode ser usado para fins medicinais? 
O vinagre de maçã, especialmente, pode ser usado com propriedades terapêuticas. Os outros vinagres apresentam menos propriedades funcionais.

2) Há alguma contraindicação no consumo de vinagre?
Em casos de hipercloridria, que é o excesso de ácido clorídrico no estômago.

3) A quantidade ingerida regularmente depende de cada organismo? Quais as recomendações diárias? 
Em geral, a recomendação é de duas colheres de sopa por dia. Em jejum e antes do jantar são os melhores horários!

4) De que forma o vinagre pode auxiliar na digestão de alimentos ricos em proteínas e gorduras? 
Pela maior concentração de sucos digestivos e pela manutenção da acidez estomacal. Este baixo pH é fundamental para a digestão de proteínas e gorduras.

5) Como se dá a característica de assepsia com o uso do vinagre?
Dilue-se 5% de vinagre em 95% do volume do total de água. Deixa-se o alimento imerso durante 5 minutos e depois se enxágua. Não é 100% eficaz, mas ajuda muito.

6) O consumo no Brasil ainda é muito menor, se comparado a países europeus, segundo pesquisas recentes. É uma questão meramente cultural? 
Sem dúvida. Brasileiro usa muito mais limão que vinagre por hábito e preferência de paladar.

7) Quais as propriedades nutricionais do vinagre de maçã?
O vinagre de maçã é produzido a partir da fermentação do extrato do bagaço ou do suco concentrado da fruta. Cada método gera um fermentado com características físico-químicas diferentes, que refletem na concentração dos seus componentes. Geralmente as frutas utilizadas são aquelas que foram rejeitadas para o comércio a varejo. Na fermentação do suco de maçã (e de outros vinagres), forma-se o ácido acético pela bactéria acetobacter aceti, a partir de todo o açúcar e do álcool que se forma na etapa intermediária da fermentação de qualquer açúcar.
Segundo a tabela nutricional do USDA, o vinagre de maçã é composto por 93,81% de água, 0,17% de cinzas (minerais) e 0,93% de carboidratos. Dentre os minerais, os que se apresentam em maiores concentrações são: cálcio, magnésio, fósforo e potássio. Além disso, contém 5% de ácido acético. É importante pensarmos que, mesmo com essas informações nutricionais, a quantidade ingerida do vinagre é muito pequena, para ser classificado como alimento fonte desses nutrientes.

8) Quais as vantagens com relação aos outros vinagres?
Em literatura, encontramos algumas vantagens no consumo de vinagres de fruta, não exclusivamente do vinagre de maçã. Na produção de vinagre de frutas, a composição de cada cultivar mostra ter grande influência no conteúdo fenólico e na capacidade antioxidante dos fermentados alcoólicos e dos vinagres.
O ácido málico presente no vinagre de maçã é o elemento que lhe confere suas propriedades terapêuticas. Este ácido melhora a função digestiva e a assimilação de minerais. A ação benéfica do ácido málico deve-se, entre outros, ao fato de ele ser um dos ácidos do chamado Ciclo de Krebs, que é um conjunto de reações responsável pela produção de energia e respiração no interior das células.
Porém, o ácido málico da maçã se encontra na maçã antes mesmo do processo fermentativo.

9) Como o vinagre de maçã pode ser um aliado na perda ou manutenção do peso? Quais os maiores benefícios que ele pode proporcionar nas dietas?
Alguns investigadores supõem que o vinagre de maçã faz com que o organismo queime calorias de um modo mais eficiente, ou pela redução do apetite ou por melhorar a eficiência do metabolismo. O vinagre de maçã contribui para ajudar a digerir alimentos.
Atribui-se ao vinagre de maçã o poder de reduzir o apetite, agir como anti-inflamatório, como antibiótico e auxiliar no retardo do envelhecimento. Porém as substâncias relacionadas são sempre as presentes na maçã, como ácido málico, pectina e compostos fenólicos característicos.

10) Além do consumo em saladas, há outras sugestões para o preparo de alimentos com o vinagre?
O vinagre é utilizado no mundo inteiro como condimento e conservante de alimentos. Este pode ser utilizado como ingrediente básico de molhos para saladas ou como conservante de outros alimentos, como por exemplo conservas.
Apresenta também utilidade como amaciante de carnes temperadas e legumes em conservas. Os condimentos, de modo geral, quando ingeridos em quantidades moderadas, estimulam a digestão. O vinagre apresenta propriedades estimulantes, pois favorece a secreção do suco gástrico, aumentando a ação dissolvente.

Por Greice Caroline Baggio. CRN 10107D
Fonte: ANAV - 10 questões interessantes sobre o vinagre.

VINAGRE DE MAÇÃ ORGÂNICO você encontra na N4 Natural


Acesse o site e adquira na N4 Natural




Conceitos importantes da N4 Natural:

- Para os produtos a granel, sabemos que a maioria dos nossos clientes têm o hábito de armazenar em potes, que utilizam no dia a dia. Partindo deste conhecimento, simplificamos as embalagens dos nossos produtos, desta forma conseguimos ter um bom preço e incentivar mais o seu consumo.
- 100% das caixas que utilizamos, são recicladas.

- Acesse e obtenha produtos saudáveis para uma vida em equilíbrio!

FRUTAS INTEIRAS, E NÃO O SUCO DAS FRUTAS, SÃO MELHORES OPÇÕES.

0 comentários
Comer mais frutas, particularmente mirtilo (as blueberries), maçãs e uvas tende a reduzir o risco de desenvolvimento do tipo 2 de diabetes, segundo mais um estudo, desta vez publicado no British Medical Journal.

No entanto, a ingestão de sucos de frutas pelo amanhecer - e não frutas inteiras - pode aumentar ligeiramente os riscos da doença.

Os pesquisadores suspeitam que a diferença é devida à maior quantidade de açúcar do suco, já que o suco leva mais frutas do que as regularmente ingeridas sólidas em e à rápida absorção do suco pelo corpo.

A pesquisa acompanhou a dieta de 187 mil pessoas nos Estados Unidos. Destas, 6,5% desenvolveram diabetes tipo 2.

As frutas pesquisadas foram uvas ou passas, pêssego, ameixa, damascos, pera, maçã, laranjas, toranja (grapefruit), morangos e mirtilos.

De acordo com o estudo, "frutas têm componentes altamente variáveis de fibra, antioxidantes, outros nutrientes e fitoquímicos que, juntos, influenciam o risco [do diabetes tipo 2]".

O mirtilo corta o risco de diabetes tipo 2 em 26%, enquanto outras frutas, servidas em três porções diárias, reduzem em 2%.

No entanto, quando observado o impacto do consumo de sucos de frutas pela manhã, os pesquisadores chegaram a um leve aumento do risco de diabetes tipo 2, contra a redução provocada pela ingestão de frutas sólidas.

Substituindo-se sucos de frutas por mirtilos inteiros corta-se o risco em até 33%; com uvas e passas, em até 19%; por peras e maçãs, em até 13% - e por uma combinação de frutas, em até 7%.

A substituição de sucos por laranjas, pêssegos, ameixas e damascos leva a resultado similar.

"Ao fazermos um suco, separamos a (polpa) fruta de seus fluidos, que são absorvidos mais rapidamente, aumentando os níveis de açúcar e insulina no sangue para conter os açúcares", explica Qi Sun, autor do estudo e professor na Harvard School of Public Health. "Para diminuir o risco de diabetes tipo 2, o ideal seria diminuir o consumo de sucos e aumentar o de frutas", aconselha.

O estudo envolveu apenas o consumo de suco pela manhã, e não durante outros momentos do dia.

Por outro lado, outros estudos já demonstraram benefícios substanciais dos sucos de frutas, incluindo o suco de mirtilo.

FITOQUÍMICOS EVITAM ACÚMULO DE GORDURA NO FÍGADO.

0 comentários
Gordura no fígado

Mulheres na menopausa muitas vezes lutam contra o ganho de peso gerado quando os seus níveis de estrogênio caem, e muitas recorrem aos suplementos de perda de peso para ajudá-las a perder os quilos extras.



Mas esses suplementos podem causar um acúmulo de gordura no fígado e uma condição potencialmente fatal chamada doença hepática gordurosa não-alcoólica.

Os suplementos de emagrecimento fazem com que a gordura se mobilize no corpo, aumentando o acúmulo de gordura no fígado. Ao longo do tempo, o excesso de gordura pode levar à inflamação e formação de cicatrizes, explica a Dra. Colette Miller, da Universidade da Geórgia (EUA).

Agora, Miller e sua equipe demonstraram que uma mistura de fitoquímicos e da vitamina D pode ajudar a proteger o fígado contra essa inflamação causada pelo acúmulo de gordura.

Fitoquímicos
Fitoquímicos são compostos ou nutrientes produzidos pelas plantas e que apresentam efeitos benéficos à saúde.

Os compostos derivados de plantas utilizados pela equipe para tentar combater o acúmulo de gordura no fígado incluem o resveratrol, retirado de uvas; genisteína, encontrada na soja; e quercetina, encontrada em cascas de maçã e cebola.

Estudos anteriores já demonstraram que esses compostos ajudam a queimar gordura, fazendo com que as células de gordura "estourem" e liberem seu conteúdo.

Efeito sinérgico
Miller afirma que é quase impossível obter a quantidade suficiente de qualquer um destes compostos, para obter os benefícios observados nos animais usados no experimento, através da ingestão dos alimentos que os produzem, ou mesmo por meio de suplementos.

No entanto, afirma ela, juntos eles têm um efeito sinérgico que "reduz as doses de que você precisa."

Embora o tratamento não tenha feito com que os animais que ingeriram os compostos perdessem peso global, os pesquisadores observam que as camadas de gordura visceral diminuíram, reduzindo os riscos mais severos associados com o acúmulo de gordura.

O próximo passo será repetir os experimentos em humanos, sobretudo para verificar as doses necessárias para evitar o "fígado gorduroso".

NUTRIENTES DO GOJI BERRY.

quarta-feira, 25 de março de 2015 1 comentários
Goji, é o nome comum do Lycium barbarum, chamada popularmente como goji, bagas de goji, goji berry ou wolfberry. Chegou aos países ocidentais somente no início do século XXI, na medicina tradicional chinesa é consumida há milhares de anos, tem origem na Ásia (China, Índia e Tibete), crescendo em muitas regiões do mundo, porém é na China, principalmente, nas regiões de Ningxia e Xinjiang Uygur, que seu cultivo, de forma comercial é significativo, uma planta da família das solanáceas (à qual pertencem vegetais como a batata, a berinjela, o tomate...).

O fruto é destaque entre os alimentos com a capacidade antioxidante mais elevada na escala ORAC (Oxygen Radical Absorbance Capacity), combatendo excesso de radicais livres e prevenindo o envelhecimento precoce. Contém nutrientes importantes à saúde, fitoquímicos com propriedades antioxidantes, entre eles carotenóides, incluindo betacarocaroteno, zeaxantina, luteína, licopeno, criptoxantina e xantofilas, precursores da vitamina A, atuam diretamente na respiração celular e sintetiza pigmentos da retina protegendo a visão, além de atuarem como antioxidantes poderosos.

Contém também beta-sisterol (e outros fitoesteróis), que tem ação antiinflamatória, podendo impedir a oxidação do LDL colesterol e a formação das placas arteriais. 

Junto a dieta saudável o Goji berry pode contribuir a saciedade, redução do colesterol e controle glicêmico, já que contém fibras e poucas calorias, 1 colher de sopa, cerca de 15 g, contém 50 kcal, 11g de carboidratos e 1,6g de fibras, além disso, pode melhorar a função do sistema imunológico, proteger o fígado e melhorar a circulação.

Fornece 8 aminoácidos essenciais, como isoleucina e triptofano, vitaminas como vitamina C, antioxidante que merece destaque no fruto, vitamina E, vitaminas do complexo B, como B1, B2, B6, que contribuem ao metabolismo de macronutrientes, funcionamento do sistema nervosos e minerais, incluindo zinco, fósforo, ferro, cobre e selênio.

Pode ser consumida in natura ou desidratada, junto às refeições, muito saborosa pode ser misturada a frutas, saladas, sucos, vitaminas, iogurtes, acrescentada as preparações como sobremesas, bolos, barras de cereais, misturadas à aveia, cereais matinais... sendo o recomendado a ingestão de 1 a 2 colheres de sopa, cerca de 30 g ao dia. Porém, não há conclusões sobre a quantidade ideal.

Por Greice Caroline Baggio CRN 10107D.

GOJI BERRY você encontra na N4 Natural


Acesse o site e adquira na N4 Natural




Conceitos importantes da N4 Natural:

- Para os produtos a granel, sabemos que a maioria dos nossos clientes têm o hábito de armazenar em potes, que utilizam no dia a dia. Partindo deste conhecimento, simplificamos as embalagens dos nossos produtos, desta forma conseguimos ter um bom preço e incentivar mais o seu consumo.
- 100% das caixas que utilizamos, são recicladas.

- Acesse e obtenha produtos saudáveis para uma vida em equilíbrio!

SEM GLÚTEN, SEM LACTOSE, ESCLAREÇA.

segunda-feira, 23 de março de 2015 0 comentários

Nas bancas, minha participação na Edição Receitas sem Glúten e sem Lactose.
Editora Alto Astral.
Por Greice Caroline Baggio - CRN 10107D

MACA PERUANA: CONHEÇA SUAS PROPRIEDADES ESTIMULANTES.

0 comentários
A raiz de Maca Peruana (Lepidium meyenii) pode ser encontrada crescendo na Cordilheira dos Andes, principalmente no Peru, o uso da maca como alimento afrodisíaco é muito bem conhecido, tem sido chamado de "ginseng peruano", devido às suas qualidades estimulantes naturais que são semelhantes, fazendo parte da tradição culinária e medicinal há centenas de anos, uma raiz que pertence à família do rabanete, que tem sido popularizada como um super alimento.

A raiz em pó e desidratada contém em volta de 50% a 70% de carboidratos, 8% a 9% de fibras solúveis, 23% de insolúveis, 2% a 4% de gorduras, incluindo ácido linoleico, palmítico e ácido oleico, e 8% a 18% de proteínas, entre elas aminoácidos essenciais, e vitaminas como niacina, tiamina (B1), riboflavina (B2), vitamina B6, vitamina C, D e E, além de minerais como cálcio, ferro, fósforo, potássio, magnésio, zinco, manganês, selênio.

Nos anos 60 surgiram as primeiras investigações científicas sobre o uso e fertilidade. O uso mostrou-se atuar sobre o hipotálamo, glândula pituitária, glândulas supra-renais, atuando sobre o sistema endócrino, permitindo aumento nos níveis de hormônios sexuais, promovendo mais energia, vitalidade, promovendo o equilíbrio hormonal, consequentemente reduzindo ciclo menstruais irregulares em mulheres e aumentando o libido e da fertilidade, em homens e mulheres.




A Maca age como um antioxidante natural, aumentando os níveis de glutationa peroxidase no organismo, o que contribui ao aumento das defesas do organismo, melhorando também a tolerância à glicose, ao diminuir seus níveis no sangue.


Ensaios clínicos têm demonstrado efeitos positivos com o uso da Maca sobre níveis de energia, resistência e humor, o que contribui para a redução efeitos psicológicos de ansiedade e depressão.

No mínimo 1 colher de chá até 2 colheres de sopa, é a quantidade recomendada diariamente, consuma pura ou no introduza no preparo de vitaminas, sucos, iogurtes, misture com frutas, sem aquecer para que não haja perda dos nutrientes. Em cápsulas pode ser consumida cerca de 500mg ao dia. Pode ser usada por atletas já que contribui para fornecer energia e aumentar o desempenho físico, por ser fonte de carboidratos complexos e vitaminas do complexo B, indispensáveis à produção de energia do organismo.

Você que já consome a Maca conte pra gente os benefícios do uso!

Por Greice Caroline Baggio.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Alimente-se com Sabedoria recomenda: 

MACA PERUANA você encontra na N4 Natural



Acesse o site e adquira na N4 Natural




Conceitos importantes da N4 Natural:

- Para os produtos a granel, sabemos que a maioria dos nossos clientes têm o hábito de armazenar em potes, que utilizam no dia a dia. Partindo deste conhecimento, simplificamos as embalagens dos nossos produtos, desta forma conseguimos ter um bom preço e incentivar mais o seu consumo.
- 100% das caixas que utilizamos, são recicladas.

- Acesse e obtenha produtos saudáveis para uma vida em equilíbrio!

ÓLEO E COCO E EXERCÍCIOS FÍSICOS COMBATEM A HIPERTENSÃO.

domingo, 15 de março de 2015 1 comentários
Superalimento
O óleo de coco é um dos poucos alimentos que podem ser classificados como um "superalimento".

Sua combinação exclusiva de ácidos graxos pode ter efeitos positivos profundos na saúde, incluindo a perda de gordura, aumento do colesterol bom, melhor funcionamento do cérebro e muitos outros benefícios, incluindo o combate a cáries e aftas.

Agora, pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba dispuseram-se a testar a hipótese de que uma combinação de óleo de coco por dia e treinamento físico poderia restaurar a pressão arterial normal em indivíduos hipertensos.

Óleo de coco com exercício
Usando animais de laboratório espontaneamente hipertensos - sem alterações genéticas - a equipe constatou que tanto o óleo de coco quanto o treinamento físico reduzem o ganho de peso.

Igualmente, tanto a suplementação de óleo de coco quanto o condicionamento físico, ambos aplicados individualmente, reduziram a pressão sanguínea.

No entanto, somente quando o óleo de coco e o treinamento físico foram combinados, eles foram capazes de trazer a pressão arterial de volta aos valores normais.

"Esta é uma descoberta importante, uma vez que o óleo de coco está sendo considerado um 'superalimento' e está sendo consumido por atletas e pela população em geral que procura um estilo de vida saudável," disse o Dr. Valdir de Andrade Braga, um dos autores do estudo.

Testes em humanos
"A possibilidade de usar o óleo de coco como adjuvante no tratamento da hipertensão vem se somar à longa lista de benefícios associados ao seu consumo.

"Nosso próximo passo é começar alguns ensaios clínicos a fim de verificar se podemos reproduzir esses resultados em pacientes humanos hipertensos," finalizou Valdir.

HOMENS E MULHERES: DIFERENTES NO PRATO.

sábado, 14 de março de 2015 0 comentários
As distinções entre os sexos merecem atenção também quando o assunto é alimentação.

O despertador toca. Ele vira o corpo para dormir mais um pouquinho enquanto ela se levanta para tomar banho. O período de permanência dela no banheiro é mais longo que o dele, já que inclui o trato nos cabelos, cremes e todo o ritual matinal de beleza. Depois, enquanto ela se veste, ele toma uma ducha, faz a barba e, ao sair, encontra o quarto vazio: ela foi preparar o café da manhã dos dois.

Durante a refeição, outras diferenças surgirão entre eles, já que algumas das escolhas nutricionais precisam ser distintas também. Afinal, diariamente, homens e mulheres lidam com suas peculiaridades físicas e emocionais. Metabolismos, hormônios e uma série de outros mecanismos orgânicos têm funcionamentos distintos entre os sexos, implicando em cuidados específicos.

"O Plano Alimentar de um adulto varia de acordo com sexo, massa corpórea, idade e atividades físicas praticadas", explica o médico especialista em nutrologia Edson Credidio*. "As mulheres têm aproximadamente 70% de massa muscular e 30% de massa gorda enquanto os homens contam com 80% de massa muscular e 20% de massa gorda. Esse é apenas um exemplo dos fatores que determinam as diferenças nas indicações alimentares para cada um dos sexos", afirma Credidio.

Há outros: seguindo diretrizes gerais, a quantidade de calorias ingeridas diariamente pelos homens deve ser maior que a ingerida por mulheres, uma vez que, graças a diferenças metabólicas, o organismo masculino gasta uma quantidade maior de energia.

Portanto, quando uma mulher resolve comer a mesma quantidade de alimentos calóricos que seus amigos, irmãos, namorados e maridos, as consequências serão diferentes: o que para eles é uma refeição básica para a manutenção da saúde, para uma mulher pode se transformar numa verdadeira bomba de caloria. 

Equilíbrio é regra "unissex" 
Tudo isso não significa, porém, que a alimentação das mulheres deve ser mais equilibrada que a dos homens. As regras gerais de nutrição são válidas para ambos os sexos, principalmente no que diz respeito à ingestão diária de alimentos de todos os grupos (energéticos, construtores, reguladores e energéticos extra como ilustra a Pirâmide Alimentar). Da mesma forma, homens e mulheres devem ter em sua rotina algum tipo de atividade física, para manter o equilíbrio físico e emocional.

"Nosso corpo precisa de uma série de nutrientes como aminoácidos essenciais, ácidos graxos essenciais, minerais, vitaminas, carboidratos, proteínas, etc. O mais importante para homens e mulheres é atentar para o consumo completo desses nutrientes não apenas com o objetivo de manter a saúde, mas também como forma de prevenção", enfatiza doutor Credidio.

O consumo adequado de cálcio é um exemplo de como a alimentação auxilia na manutenção da saúde .O nutriente é fundamental para evitar a osteoporose, distúrbio que conta com incidência bem mais elevada em mulheres do que em homens.

As mulheres também necessitam atentar para o consumo de ferro, pois durante o preríodo menstrual as taxas desse nutriente importantíssimo diminuem. A presença insuficiente de ferro pode levar a problemas que vão desde a anemia até distúrbios de percepção e comportamento.

Para os homens, uma dica específica está no consumo diário de tomate e seus derivados. Segundo pesquisas realizadas na Universidade de Harvard, o licopeno, nutriente encontrado em quantidade abundante no alimento, ajuda na prevenção do câncer de próstata.

Porém, mais importante que essas necessidades específicas é a manutenção de uma alimentação saudável em prol de uma rotina equilibrada. E isso vale para homens e mulheres, apesar de todas as suas diferenças!

* Dr. Edson Credidio é especialista em Nutrologia Médica pelo Conselho Federal de Medicina e Membro da Associação Brasileira de Nutrologia.

Fonte: Nestle

ANTI-INFLAMATÓRIOS NATURAIS.

sexta-feira, 13 de março de 2015 0 comentários
Sensação de "Uau"
A alegada distinção entre fisiologia e psicologia - defendida por muito tempo - não consegue mais se sustentar frente às observações científicas mais recentes.



Um novo estudo mostrou que sensações altamente positivas, daquelas de tirar o fôlego, induzem um reforço significativo do sistema imunológico.

As sensações envolvidas incluíram olhar uma paisagem deslumbrante, como o Grand Canyon, observar obras de arte, como o teto da Capela Sistina, ou ouvir uma música como a Ave Maria, de Schubert.

"Nossos resultados demonstram que as emoções positivas estão associadas com marcadores de boa saúde," conta a Dra. Jennifer Stellar, da Universidade de Toronto (EUA).

Emoções positivas
A equipe constatou que as emoções positivas - especialmente o êxtase que sentimos quando tocados pela beleza da natureza, da arte e da espiritualidade - induzem níveis mais baixos de citocinas pró-inflamatórias, que são proteínas que sinalizam para o sistema imunológico para que ele trabalhe mais.

Embora as citocinas sejam necessárias para reunir as células imunológicas para combater infecções, doenças e traumas, níveis elevados de citocinas por longos períodos estão associados com problemas de saúde e condições como diabetes tipo 2, doenças cardíacas, artrite e doença de Alzheimer.

Já se sabia que uma dieta saudável, sono de boa qualidade e exercícios físicos fortalecem as defesas do organismo contra doenças físicas e mentais. Mas agora se demonstrou que as emoções positivas podem ter o mesmo efeito fisiológico.

De acordo com Stellar, o "êxtase está associado com a curiosidade e um desejo de explorar, sugerindo respostas comportamentais opostas às encontradas durante a inflamação, onde os indivíduos normalmente se isolam dos outros em seu ambiente."

PROTEÍNA DEMAIS.

terça-feira, 10 de março de 2015 0 comentários
Um painel de especialistas em nutrição montado pelo governo norte-americano divulgou seu relatório de mais de 500 páginas com orientações para fundamentar a ação dos órgãos federais encarregados de traçar as diretrizes alimentares do país.

Entre as recomendações tradicionais para comer mais frutas, legumes e cereais integrais, e menos gordura, sal e açúcar, uma nova recomendação surgiu firme: a população deveria comer menos carne.

Proteína demais
Os especialistas consideram que a população está ingerindo proteínas em excesso e, além disso, deveria levar em conta o meio ambiente no momento de decidir o que comer e o que não comer.

"A evidência atual mostra que a dieta média dos EUA tem um grande impacto ambiental em termos de aumento de emissões [de gases de efeito estufa], uso da terra, uso da água e uso de energia," diz o relatório. "Isto ocorre porque a ingestão de alimentos de origem animal da população atual é elevada e a ingestão de alimentos à base de plantas é baixa."

O texto prossegue para concluir que a população deve adotar uma dieta que seja "mais intensiva em alimentos de origem vegetal" e "menos intensiva em alimentos de origem animal".

Em termos mais simples: a população deve comer menos carne, recomendam os especialistas.

Nutrição animal
O que mais chamou a atenção no relatório de um painel de nutricionistas foi o peso colocado na questão ambiental, destacando que uma menor ingestão de carne terá impactos positivos sobre a saúde da população, mas um impacto ainda maior sobre a saúde do planeta.

O relatório lembra que a pecuária é responsável por 14,5% de todas as emissões causadas pelo homem no mundo, quase metade desses gases de efeito estufa vindo dos recursos necessários para cultivar e transportar o milho e a soja para alimentação animal.

Para a parcela da população que ainda não come carne suficiente, alguns cientistas vêm advogando o uso de insetos para combater a fome, enquanto outros apostam no desenvolvimento da carne artificial.

EXERCÍCIO FÍSICO BENEFICIA PACIENTES COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA.

segunda-feira, 9 de março de 2015 0 comentários
Pesquisadores do Incor elucidaram
como a reabilitação
cardíaca modula determinados
receptores no tecido muscular
e promove redução na
 atividade nervosa simpática.
Há alguns já se sabe que uma atividade física moderada é não apenas segura para pacientes cardíacos, mas altamente recomendável.

Pesquisadores brasileiros também já haviam confirmado que os pacientes com problemas do coração podem se beneficiar de exercícios físicos.

Agora, uma outra equipe do Incor (Instituto do Coração, ligado à USP), liderada por Lígia Antunes Corrêa, revelou mecanismos biológicos por trás desses benefícios.

Receptores musculares
Nos portadores de insuficiência cardíaca, atividades físicas simples do cotidiano, como subir escadas, fazer compras ou tomar banho, podem causar taquicardia, fadiga e dificuldade para respirar.

Essa intolerância ao esforço parece estar relacionada com uma hiperatividade do sistema nervoso simpático - parte do sistema nervoso autônomo responsável por controlar, entre outros fatores, os batimentos cardíacos, pressão arterial e a contração e o relaxamento de vasos sanguíneos.

"Existem dois tipos de receptores no tecido muscular: o metaborreceptor e o mecanorreceptor. Quando eles são estimulados, a atividade simpática aumenta. Mas em pacientes com insuficiência cardíaca esse aumento é exagerado, o que parece estar relacionado com uma hiperatividade dos mecanorreceptores, e isso faz com que os pacientes se cansem mais facilmente. Queríamos entender melhor por que isso ocorre", explicou Lígia.

O mecanorreceptor é uma espécie de sensor mecânico, ativado pela contração e pelo relaxamento muscular. Já o metaborreceptor é um sensor químico, ativado pelos metabólitos produzidos em resposta à contração do músculo.

Em pessoas saudáveis, a ativação desses receptores durante a realização de exercícios físicos tem a função de aumentar a atividade do sistema cardiovascular e respiratório e garantir o aporte adequado de sangue e oxigênio para as células.

Segundo a pesquisa, como a musculatura dos portadores de insuficiência cardíaca sofre uma série de alterações metabólicas em razão da redução no fluxo sanguíneo e da hiperatividade simpática, o metaborreceptor fica em contato constante com uma série de metabólitos produzidos em excesso, mesmo durante atividade leves do dia a dia, e acaba perdendo sua sensibilidade. Como forma de compensação, o receptor mecânico fica hiperativado.

Reabilitação cardíaca
Os voluntários foram divididos aleatoriamente em dois grupos. Metade fez apenas o acompanhamento clínico convencional e os demais foram submetidos a três sessões semanais de bicicleta ergométrica e exercícios localizados durante quatro meses.

No grupo de pacientes que passou pelo programa de treinamento físico, a atividade simpática durante a estimulação dos mecanorreceptores (por meio de contração muscular durante prática de exercícios passivos) ficou cerca de 10% menor. A queda foi acompanhada por uma redução de 50% no quadro inflamatório do músculo.

A biópsia muscular do grupo treinado também mostrou aumento na expressão dos receptores que sugere a recuperação da sensibilidade do metaborreceptor.

"A melhora desse balanço entre o mecanorreceptor e o metaborreceptor contribui para a diminuição da atividade simpática tanto durante o repouso como durante a realização das atividades do dia a dia. Isso está associado a uma melhora do prognóstico do paciente, pois diminui as arritmias cardíacas e a vasoconstrição periférica", afirmou a pesquisadora.

"Agora avançamos no entendimento de como o exercício modula a ação desses receptores. O grande diferencial da pesquisa é o aspecto translacional, ou seja, a associação entre os achados moleculares e o estado clínico do paciente", comentou Lígia.

Fonte: Diário da Saúde

LIMITE PARA O CONSUMO DE AÇÚCAR.

domingo, 8 de março de 2015 0 comentários
São Paulo – A inocente sobremesa depois do almoço já não é mais tão inocente assim. Diante dos comprovados prejuízos que o excesso de açúcar tem provocado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu uma nova diretriz: incentivar os países a reduzirem o consumo de açúcar para até 5% da dieta diária da população.

Na vida prática, isso significa consumir no máximo 25 gramas do doce por dia, algo em torno de 6 colheres de chá ou um pouco menos do que duas colheres de sopa. Pareceria uma quantidade razoável se o órgão considerasse apenas a adição de açúcar que fazemos no dia a dia, como no cafezinho.

Mas a indicação da OMS engloba também o açúcar “escondido” nos alimentos industrializados e feitos em casa, como biscoitos, bebidas, bolos, e, ainda, naqueles açúcares naturais presentes no mel, em xaropes, sucos de fruta e concentrados de fruta. Uma latinha de 350 ml refrigerante, por exemplo, chega a ter quase 40g.

Os únicos açúcares que ficaram de fora da mira da organização (e, portanto, não entram na conta dos 25g) são aqueles presentes em frutas e vegetais frescos e integrais, já que não há indícios de que sejam prejudiciais à saúde.

No ano de 2014, a OMS já havia levantado essa ideia de reduzir pela metade a quantidade de açúcar da rotina, cujo teto estabelecido era de 10% da ingestão de alimentos por dia. Agora, a instituição oficializou o novo parâmetro e está empenhada em espalhar a mensagem pelo mundo.

A nova diretriz tem base em diversos estudos que mostram que tanto adultos quanto crianças que consomem menos açúcar têm menos chances de sofrer com obesidade e cáries dentárias do que aqueles que abusam do ingrediente.

As recomendações da OMS aos países incluem a criação de guias alimentares de acordo com os costumes e comidas disponíveis nos locais, assim como novas políticas de rótulos de produtos e educação. Outra indicação é regular o mercado de comidas e bebidas não alcoólicas ricas em açúcares e novas políticas fiscais sobre esses alimentos.

Na esfera individual, a sugestão é, claro, reduzir ao máximo a ingestão dessa substância, que, apesar de muito saborosa, pode causar problemas sérios à saúde.

Fonte: Exame