Google Analytics Alternative

DEDICAÇÃO!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011 0 comentários

EMAGRECER COM SAÚDE

0 comentários

EMAGRECER COM SAÚDE.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011 0 comentários

ÓXIDO NITRICO.

sábado, 27 de agosto de 2011 0 comentários
Óxido nítrico (NO) é uma molécula simples e comum que muitas vezes pode ser a diferença entre boa saúde e doença. NO é um gás composto por um átomo de nitrogênio (N) e um átomo de oxigênio (O) e é produzido naturalmente, o tempo todo, por células dentro do corpo. NO é uma molécula de sinalização e é responsável pelos relaxamente dos vasos sanguíneos. O óxido nítrico é produzido no endotélio, que é a camada de células que revestem a superfície interior de cada vaso sanguíneo. Quando NO relaxa e amplia o sangue dos vasos sanguíneos é capaz de mais facilmente viajar por todo o corpo. O óxido nítrico é fundamental para o funcionamento dos órgãos, incluindo os pulmões, estômago, órgãos genitais, e coração.

Enquanto NO está sempre sendo produzido naturalmente no interior do corpo, os indivíduos podem controlar a quantidade de óxido nítrico que é produzido. Certos alimentos, suplementos, e atividades podem aumentar os níveis de NO para assegurar o funcionamento saudável dos sistemas entre eles o cardiovascular.
Benefícios da produção aumentada de óxido nítrico:• Pressão Arterial - NO é um vasodilatador e ajuda a controlar o fluxo de sangue para cada parte do corpo, relaxando e ampliando os vasos sanguíneos.
• Coágulos de sangue - NO trabalha para prevenir a formação de coágulos sanguíneos, mantendo os vasos sanguíneos relaxados. Coágulos são o gatilho para derrames e ataques cardíacos.
• Aterosclerose - NO retarda o acúmulo de placa dentro dos vasos sanguíneos. A placa endurece as artérias e podem acumular-se, efetivamente entupimento das artérias. Isto leva a má circulação sanguínea e aumento da pressão arterial.
• Diabetes - NO pode evitar uma série de complicações, muitas vezes associada a má circulação sanguínea.
• Antioxidante - NO é um poderoso antioxidante, neutralizando os radicais livres de oxigênio no corpo.

Como aumentar a produção de NO
• Exercício - NO é produzido em maior quantidade durante e após o exercício. Simplesmente caminhar ou correr por 20 minutos, 3 vezes por semana o organismo pode produzir níveis elevados de óxido nítrico.
• L-Arginina - Arginina é um aminoácido encontrado na carne vermelha. É o precursor nutricional do óxido nítrico e é o nutriente chave para aumentar a produção de NO. Dose recomendada: 4-6 gramas por dia.
• L-Citrulina - Citrulina é um aminoácido encontrado em frutos de melancia e outros. Ele complementa arginina e realmente recicla arginina usada para produzir NO adicionais. Dose recomendada: 0,5-1 grama por dia.
• Antioxidantes - Vitaminas C e E, o aminoácido ácido alfa lipóico e outros antioxidantes podem melhorar a eficácia do óxido nítrico, reparando os danos oxidativos às células responsáveis ​​pela geração de NO. Recomendação: 0,5 gramas de vitamina C, 2OO UI Vitamina E, 0,5 grama ácido alfa lipóico por dia.

PROTEÇÃO QUE VEM DOS ALIMENTOS.

0 comentários
O impacto que a má alimentação traz à saúde pode ser vista com o crescente número de doenças que acometem os indivíduos; e entre elas está o câncer. Muitas pessoas ainda se alimentam buscando apenas a energia dos alimentos. Poucos sabem que algumas substâncias presentes nos alimentos fornecem proteção contra diversas doenças, desempenhando papel vital no equilíbrio das funções do organismo.

As frutas e legumes, por exemplo, são alimentos protetores, que permitem reduzir o desenvolvimento de microtumores que se desenvolvem nos tecidos. A composição dos alimentos não se limitam apenas nos macro e micronutrientes, a grandiosidade destes alimentos estão em seus compostos que chamamos de fitoquímicos. Compostos que apresentam características únicas e particulares, presentes nas plantas, os fitoquímicos são moléculas que permitem sua defesa contra invasores do ambiente, sejam as catequinas do chá verde, o licopeno no tomate, a alicina no alho, o resveratrol na uva.

Como aumentar o consumo de  frutas no dia a dia?
O baixo consumo de frutas, bem como legumes e verduras está associado ao aumento do risco de doenças crônicas não transmissíveis. São alimentos fontes de fibras, micronutrientes e substâncias funcionais, além disso, são menos calóricos e auxiliam na busca e manutenção de um peso saudável, entretanto, apesar de toda a variedade disponível no comércio de alimentos, pouco está sendo consumido.

O abacaxi, por exemplo, é rico em fibras, que facilitam o trânsito intestinal, contém ainda bromelina, enzima que facilita o processo digestivo e vitamina C.
• Incluir no café da manhã 1 porção de fruta fresca, in natura, caso não seja possível consumir na forma de sucos frescos, geleias, ou preparações com frutas.
• Incluir 1 porção de abacaxi ou mamão após o almoço (facilitará a digestão, mais fibras e vitaminas na refeição);
• De sobremesa acrescentá-las à iogurtes (pedaços de frutas ou frutas secas); ou mesmo fazer cremes (de mamão papaia, abacate...);
• Adicionar fatias de maçã, abacaxi, manga ou pera no preparo de saladas;
• Acrescentá-las em receitas como bolos, biscoitos, vitaminas e sobremesas.

Por Greice Caroline Baggio.

ABACATE E MIRTILO.

0 comentários

EFEITOS DO RESVERATROL.

0 comentários
Entre as substâncias que favorecem para uma vida mais saudável encontram-se os compostos fenólicos que estão presentes na uva e seus derivados, variando de acordo com a espécie, variedade, maturidade, condições climáticas e cultivar.

Os principais fenólicos encontrados na uva são os flavonóides (antocianinas, flavanóis e flavonóis), os estilbenos (resveratrol), os ácidos fenólicos (derivados dos ácidos cinâmicos e benzóicos) e uma larga variedade de taninos.

A uva é rica em carboidratos, vitaminas do complexo B (B1 e B2) e vitamina C e A, minerais como potássio, cálcio, fósforo, magnésio, cobre e iodo.

A uva é rica em compostos antioxidantes e anticancerígenos. A casca da uva e o óleo de sua semente aumentam o colesterol HDL. A uva verde tem poderes antibacterianos e antivirais.

FLAVONÓIDES: As antocianinas, responsáveis pela cor (cores azul, violeta e tonalidades de vermelho que aparecem em flores, frutos, algumas folhas, caules e raízes de plantas). Nas videiras, elas acumulam-se nas folhas e são responsáveis pela coloração das cascas das uvas tintas.

Os flavanóis responsáveis pela cor, sabor e amargor. Os flavonóis, presentes na uva e no vinho na forma de glicosídeos.

RESVERATROL: O resveratrol é uma fitoalexina produzido naturalmente por diversas plantas sob duas formas isômeras: trans-resveratrol e cis-resveratrol, como eucalipto, amendoim, amora e também está presente em uvas.

Na uva se encontra na casca como resposta a ataques externos (ataque fúngico, irradiação de luz ultravioleta). Possui efeito antioxidante 20 vezes mais potente que a vitamina E.

EFEITOS DO RESVERATROL
o Possui atividade antioxidante (através da inibição da atividade dioxigenase da lipoxigenase);
o Protege os vasos contra o desenvolvimento e progressão de placas de aterosclerose. (< agregação plaquetária, aumento do HDL);
o Atividade antiinflamatória (inibição da transcrição e atividade da ciclooxigenase)
o Atua como anticoagulante (inibindo a síntese de tromboxinas);
o Pode atuar de modo similar ao estrogênio e substituir parcialmente este estrogênio nos tratamentos pós-menopausa.

O consumo de suco de uva como fonte de compostos fenólicos apresenta vantagens com relação ao do vinho, a ausência de álcool permite que o suco seja consumido pela maioria das pessoas, inclusive por crianças.

Contra indicações ao consumo de bebidas alcoólicas: Arritmia cardíaca, Diabetes descompensada, Doenças hepáticas, Problemas mentais.

O vinho também pode conter substâncias, tais como uréia, metanol e aminas biogênicas, que quando consumidas em excesso podem causar efeitos tóxicos no organismo humano.

Por Greice Caroline Baggio.

SUCOS?

quinta-feira, 25 de agosto de 2011 0 comentários

12 ALIMENTOS QUE ALIVIAM DORES NAS ARTICULAÇÕES

quarta-feira, 24 de agosto de 2011 0 comentários

A pesquisa mostrou que certos antioxidantes podem ajudar
a prevenir artrite, retardar sua progressão, e aliviar a dor.
A única solução que os medicamentos dão são temporariamente mascarar a dor; e cirurgias podem acarretar em um grande número de complicações. Mas a natureza nos proporcionou muitos alimentos anti-inflamatórios que não só trabalham sem efeitos colaterais, como também acrescentam nutrientes e sabor à mesa. Confira quais são estes alimentos anti-inflamatórios:

1. Frutos: morangos, mirtilos, framboesas ajudam no desgaste nas articulações. Nestes frutos estão presentes a vitamina C que mantém os radicais livres - moléculas que danificam as células produzidas por inflamação. A pesquisa mostrou que certos antioxidantes podem ajudar a prevenir artrite, retardar sua progressão, e aliviar a dor. Além disso, a vitamina C também desempenha um papel importante na formação de colágeno, um componente chave da cartilagem e osso. Outros alimentos ricos em vitamina C incluem laranja, goiaba, brócolis, abacaxi e mamão.

2. Óleo de linhaça: Uso de óleo de linhaça reduz a dor devido a qualquer tipo de condição inflamatória, Ácidos graxos Omega-3 presentes na linhaça são as mais saudáveis fontes de gorduras para pessoas com artrite ou outras doenças inflamatórias.. Estes ácidos gordos estimulam a produção de substâncias químicas do corpo que ajudam a controlar a inflamação - nas articulações, a circulação sanguínea e os tecidos. Você pode notar uma redução na dor nas articulações apenas adicionando 1-3 colheres de sopa por dia de óleo de linhaça na sua dieta.

3. Peixe: Determinadas variedades de peixes como salmão, atum, sardinha, cavala e anchova são ricos em ômega-3 os ácidos gordos que podem reduzir a inflamação e aliviar a dor nas articulações. Além disso, alguns destes peixes (como salmão, cavala, sardinha e arenque) também são ricos em vitamina D. Vitamina D é importante não só para manter os ossos, mas também para outras funções do corpo, incluindo a saúde das articulações. Estudos têm demonstrado que a obtenção de quantidades adequadas de vitamina D reduz o risco de artrite reumatóide e osteoartrite.

4. Cúrcuma: Esta especiaria indiana comumente encontrada na maioria das cozinhas contém um poderoso, composto não-tóxico chamado curcumina que tem sido comprovada suas contribuições à saúde por conter propriedades anti-inflamatórias. Tome meia colher de chá de com água quente pelo menos três vezes em um dia.

5. Soja: A soja é rica fonte de isoflavonas, que são hormônios vegetais com função anti-inflamatória. Você pode tê-lo na forma de leite de soja, caril de soja e até mesmo chapattis soja.

6. Chá verde: Os flavonóides no chá verde são potentes anti-inflamatório natural, compostos que têm sido demonstrado em diversos estudos para reduzir a dor nas articulações causada pela artrite.

7. Azeite: A gordura saudável monoinsaturada do azeite são usadas pelo corpo para produzir naturais agentes anti-inflamatórios. O azeite é rico em polifenóis, que são conhecidos por ter ações anti-inflamatória, antioxidante e anticoagulante. Adicione o óleo de oliva à dieta, utilizando-o no lugar de outros óleos vegetais.

8. Gengibre: O gengibre é rico em anti-inflamatórios que ajudam a reduzir a dor articular. Usei-o como tempero na comida ou bebida em chá.

9. Iogurte: Um estudo publicado no Journal of Nutrition concluiu que um probiótico (amigável) bactérias como Lactobacillus, encontradas no iogurte, oferece notáveis efeitos preventivos e curativos nas dores e na artrite. Além disso, os probióticos ajudam a manter as bactérias más, leveduras e bolores no sistema digestivo longe. Um crescimento excessivo de bactérias e leveduras ruim no sistema digestivo é chamado disbiose e está relacionada com artrite reumatóide.

10. Mamão: A papaína, uma enzima que digere proteínas, combinadas com antioxidantes, como vitamina C e vitamina E presente no mamão ajuda a reduzir a inflamação e melhora a digestão.

11. Nozes e sementes: Nozes e sementes como amêndoas, nozes e sementes de gergelim também contêm gorduras anti-inflamatórios como ômega-3.

12. Cogumelo: Os chineses apreciaram as propriedades que aumentam a imunidade e propriedades anti-inflamatórias de cogumelos desde os tempos antigos.

Carnes gordas, alimentos que contêm gorduras saturadas e trans, refrigerantes, sucos açucarados e alimentos processados, como eles tendem a agravar a situação de dores e prejudicar as articulações, evite-os e consuma os alimentos acima para mantê-lo saudável!

Fonte: Parte do texto traduzido em Life mojo.
Por Greice Caroline Baggio.

COMBATA O CÂNCER!

0 comentários
E, se você conseguir dar todos esses 10 passos, dê mais um, e
 lembre-se que a hipocondria também é uma patologia - viva mais leve.

Atitudes pela vida
O Instituto do Câncer de São Paulo (ICESP) divulgou uma série de dicas para prevenir o surgimento do câncer.

São atitudes simples, passíveis de serem incorporadas ao dia-a-dia, mas que são fundamentais para prevenir o câncer, que atualmente é a segunda maior causa de morte entre a população.

A primeira, e uma das principais recomendações, é não fumar. O tabagismo é responsável por 30% das mortes de pacientes oncológicos e um ponto desencadeante de diversas outras doenças.

Outro fator importante é não consumir bebidas alcoólicas em excesso, pois o álcool potencializa significativamente os efeitos do tabaco.

"Evitar o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas já vai ajudar, e muito, na manutenção da saúde das pessoas, já que ambos estão associados ao aparecimento de inúmeros tipos de tumores," disse o Dr. Gilberto de Castro Jr., oncologista do Icesp.

10 principais passos para prevenir o câncer:
1. Não fume. Mesmo uma pequena quantidade de tabaco pode fazer um grande estrago.
2. Não abuse de bebidas alcoólicas, principalmente se estiver violando a regra número um.
3. Mantenha hábitos de sexo seguro. Use camisinha. O contato com alguns vírus transmitidos sexualmente, como o papiloma vírus humano (HPV), pode desencadear alguns tipos de câncer.
4. O sexo seguro é o caminho para evitar os vírus da hepatite B (para a qual há vacina) e da hepatite C, ambos com potencial para levar ao câncer de fígado.
5. Evite o consumo excessivo de açúcares, de gorduras, de carne vermelha, de porco e das processadas. Invista em uma dieta saudável, rica em verduras, legumes e frutas.
6. Na mesma linha da dieta saudável, vale reforçar a importância de evitar o consumo de alimentos com muito sódio e conservantes, como é o caso dos enlatados, embutidos e fast foods em geral.
7. Cuidado com o sol. Use filtro solar diariamente e evite a exposição entre 10h e 16h. Na praia ou na piscina, lance mão, também, de barreiras físicas, como chapéu, camiseta e guarda-sol. Mas seja ponderado, e lembre-se que seu corpo precisa de vitamina D.
8. Pratique atividades físicas todos os dias. A recomendação é de que o exercício tenha duração mínima de 30 minutos.
9. Mantenha-se atento à sua saúde. Procure assistência especializada caso note qualquer anormalidade em seu corpo.
10. Faça um check-up anual e realize todos os exames de diagnóstico precoce indicados pelo seu médico. Esta também é uma atitude fundamental.

E, se você conseguir dar todos esses 10 passos, dê mais um, e lembre-se que a hipocondria também é uma patologia - viva mais leve.

Fonte: Diário da Saúde, 15/08/2011. 10 passos para evitar o câncer.

LONGE DO INCHAÇO.

0 comentários
CARDÁPIO ANTI-INCHAÇO, 7 DIAS, a edição conta com minha contribuição; O plano alimentar é balanceado (contendo todos os grupos alimentares) baseado na eliminação de toxinas, otimização da circulação sanguínea, eliminando a retenção hídrica, estando distribuído em três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches ao dia. Há incluso alimentos com elevado percentual de água, e líquidos saudáveis como chás e sucos naturais.

A retenção hídrica pode ser provocada pelo acúmulo de toxinas no organismo. As toxinas provêm da poluição, dos desequilíbrios digestivos e hormonais, do stress, carências nutricionais, sobrepeso, obesidade, falta de exercícios físicos, de patologias, uso de medicamentos, do tabagismo, do abuso de álcool e do sono insuficiente. Tornando-se assim essencial à busca de suas causas.

No cardápio:

A ingestão suficiente de água é primordial, grãos integrais, oleaginosas, frutas com casca (fontes de água e fibras, as frutas são reguladores do organismo, contêm vitaminas e minerais), suco de frutas e hortaliças, verduras cruas, lacticínios desnatados, chás de ervas e condimentos naturais carregam consigo nutrientes valiosos. Incluir alimentos antiinflamatórios, como o chá verde, azeite de oliva (ômega 9) alho (alicina), aveia (betaglucanas), cebola (quercetina), brócolis, arroz integral, cenoura (betacarotenos), semente de linhaça (ômega 3), soja, lentilha, tomate (licopenos), uva e suco de uva (resveratrol), castanhas (selênio, vit E), limão, gengibre são alimentos com substâncias bioativas que tem ação antioxidante e agem na modulação do processo inflamatório.

COMPLETA, confira a EDIÇÃO!

Editora Alto Astral.
Por Greice Caroline Baggio.

AVEIA E LINHAÇA. UMA COMBINAÇÃO SAUDÁVEL.

1 comentários

Esses dois alimentos em conjunto promovem a saúde, e dentro de um plano alimentar equilibrado, quem inclui porções adequadas percebe seus benefícios.

O que há na aveia de tal especial?
A aveia contém tanto fibras solúveis, como insolúveis, cerca de 9,1 gramas em 100g, mas a atenção especial são as fibras solúveis, as betaglucanas, que regulam o trânsito intestinal, proporcionando seu bom funcionamento.

Além disso, consumi-la regularmente pode auxiliar no controle da glicemia e pressão sanguínea, mantendo as artérias saudáveis e controlando o diabetes. Estudos indicam que o cereal pode reduzir o colesterol e o LDL colesterol, que são fatores de risco para as doenças coronarianas. O ideal é o consumo da aveia crua, em vitaminas, saladas de frutas ou iogurtes, pois as quantidades de betaglucanas são reduzidas quando adicionadas em preparações que necessitam de aquecimento, como mingaus, bolos ou sopas, por isso biscoitos de farelo de aveia, se tratando de betaglucanas, não valem. As betaglucanas absorvem água no intestino e forma uma pasta viscosa que retém o colesterol e açúcares dos restos alimentares.

E quanto a linhaça?
Nas sementes, além de proteínas de fácil assimilação, contendo aminoácidos essenciais, entre eles arginina, glutamina, histidina, há vitaminas do complexo B, B1, B2, vitamina E, minerais como, ferro, zinco, em menores quantidades, fósforo, potássio, cálcio e magnésio.
Segundo os estudos, nas sementes da linhaça há nutrientes que dão aporte nutricional extra à saúde e ainda podem prevenir alguns tipos de câncer, entre os nutrientes estão:

- As lignanas que desempenham papel importante na prevenção do câncer de mama e próstata; São fibras insolúveis que ligam-se aos ácidos biliares reduzindo sua absorção, ainda auxilia no equilíbrio da microbiota intestinal;

- O ômega 3 ou ácido alfa-linolênico, que altera a composição das membranas celulares e inibe a formação de processos inflamatórios, podendo controlar o crescimento de células cancerígenas; Os ácidos graxos essenciais são precursores dos eicosanóides, hormônios que controlam e proporcionam o equilibrio hormonal e o controle de todas às funções vitais do organismo.

Quais os benefícios de consumi-la como semente
O mais importante é que esteja bem conservada, seja fresca e que o consumo seja diário. As sementes são ricas nutrientes essenciais e é considerada um alimento biogênico. A semente de linhaça não contém glúten, tem um custo baixo e sabor agradável. As sementes de linhaça é rica em fibras e lignana. As fibras auxiliam no controle de peso e regularização do intestino. Estudos comprovam seus efeitos no controle e prevenção de risco de doenças cardiovasculares. A semente linhaça pode ser acrescentada em frutas, iogurtes, saladas, sucos, vitaminas, sopas... O melhor a fazer triture e consuma na hora.

Quais os benefícios de consumi-la como farinha
Fonte de fibras, mas como a maioria é parcialmente desengordurada, tem menor teor de ômegas 3, 6 (gorduras) e de lignanas se comparada a semente inteira. Controlar a porção. O aporte de fibras deve ser individualizado.

Quais os benefícios de consumi-la como óleo
Extraídos da semente de linhaça prensado a frio, além de ômega 3 e 6, é fonte de vitamina E, vitamina antioxidante, porém não devemos aquecer, suas propriedades são modificadas, oxida-se, ocorrendo perdas. Prefira os obtidos por uma única prensagem a frio, sem aditivos químicos, só assim é uma ótima fonte de nutrientes, o principal é controlar a porção. Substituir o azeite para tempero de saladas é uma boa alternativa.

Por Greice Caroline Baggio.
terça-feira, 23 de agosto de 2011 0 comentários

MICROBIOTA EM EQUILÍBRIO.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011 0 comentários
Quando ingerimos alimentos ou bebidas é iniciado o processo digestivo por meio da mastigação e salivação, o que foi consumido passa pelo estômago onde acontece a etapa principal de quebra do alimento até suas partes menores, chegando ao intestino delgado para selecionar o que será assimilado indo para a corrente sanguínea, ou é eliminado, continuando seu destino ao intestino grosso.

O intestino grosso ou cólon promove a eliminação das fezes, reabsorve parte da água e alguns nutrientes, contribui para o fortalecimento do sistema imunológico, cerca de 80% do potencial imunológico encontra-se nesta etapa do sistema digestivo. Nele encontram-se a flora ou microbiana intestinal, hospedando bactérias como lactobacilos acidophilus, bifidobacterias que sintetizam vitaminas, como a vitamina K, destruindo microorganismo e bactérias patogênicas, protegendo a integridade dos tecidos.

Ao longo deste caminho, o corpo deve ser nutrido com todas as substâncias, macro e micronutrientes de que necessita e os resíduos de todo o processo de digestão devem ser excretados no menor tempo possível.

O trato gastrointestinal é agredido diariamente pela má alimentação, estresse, inflamações, que pode reduzir os microorganismos benéficos e potencializar o desenvolvimento de bactérias patogênicas, que causam doenças. Já ouviu falar em Bifidobactérias e Lactobacillus? Conhecidos como probióticos, são microorganismos vivos, que quando ingeridos em quantidades adequadas, trazem benefícios à saúde, formam uma linha de defesa no orgamismo.

Sabia que os probióticos produzem substâncias que inibem o crescimento das bactérias prejudiciais ao organismo como ácido láctico, ácido acético, fatores antimicrobianos, produzem vitaminas do complexo B, vitamina K e enzimas, auxiliam no sistema imunológico, destroem toxinas.

Os probióticos auxiliam no tratamento da constipação, diarréia e síndrome do cólon irritável, na prevenção do câncer colorretal, diminuem a concentração de colesterol e triglicerídes no sangue, combatem problemas alérgicos, melhoram a digestão e reduzem os gases intestinais, dão maior resistência às infecções, reduzem os efeitos colaterais de antibióticos.

As principais fontes de probióticos são os leites fermentados e os iogurtes enriquecidos com lactobacilos vivos. A quantidade ideal de probióticos em um produto deve ser a partir de 1 bilhão de bactéricas. Para equilíbrio da flora intestinal não é necessário o exagero, em casos mais graves e antibioticoterapia, deve-se procurar produtos com quantidades maiores de microorganismos. Se a dieta conter carboidratos específicos, os chamados prebióticos, uma dose diária de probióticos é o suficiente. Os prebióticos contêm fibras que contribuem para o crescimento das bactérias benéficas, entre eles estão a banana, chicória, cebola, alho, tomate, cevada, aveia, trigo, aspargos e alcachofra.

Por Greice Caroline Baggio.

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL ÀS CRIANÇAS.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011 0 comentários

FRUTAS VERMELHAS: parte I.

0 comentários
Os frutos de coloração arroxeados como uvas, ameixas, amoras... são ricos em antocioninas, flavonóides, importantes ao antienvelhecimento, contribuem à função cerebral, com ação antioxidante e anticancerígena, inibem a formação de coágulos, protegem o sistema cardíaco, agindo também como antiinflamatórios.

São ricos também em ácido elágico, um dos mais poderosos antioxidantes que ajudam a prevenir o crescimento de células cancerosas. Estudos da Ohio State University mostraram que os animais cujas dietas são complementadas com framboesas tiveram uma redução de 60% nos tumores do esôfago e até 80% de redução nos tumores de cólon.

Os principais frutos (as) são:

• Açaí; Acerola; Ameixa; Amora; Caqui; Cereja; Framboesa; Goiaba; Jabuticaba; Maçã vermelha; Melancia; Mirtilo; Morango; Romã; Tomate; Uva... Preferir os frutos frescos, da estação, e sempre que possível orgânico.

MAÇÃ VERMELHA: Rica em pectina a maçã auxilia na redução do colesterol sanguíneo, pois retarda sua absorção no trato digestivo. A fruta ainda evita a formação de coágulos sanguíneos, por conter quercetina. Uma maçã por dia é aliada na boa saúde, a quercitina, presente na maçã, é uma substância com ação antioxidante, possui a capacidade redução os radicais livres, moléculas que causam danos às células. Pesquisas demonstram que a aplicação de uma solução com 1% de quercetina aplicada na pele de camundongos foi capaz de barrar os malefícios dos raios solares. Consumir ao menos uma maçã ao dia traz muitos benefícios, além de ser uma fruta acessível a maioria das pessoas.

CEREJA: Sua cor lhe revela que é rica antocianinas, fornecendo proteção contra doenças cardiovasculares, fonte de vitamina C, além de fibras solúveis. As cerejas são um dos mais potentes antiinflamatórios da natureza, devido às antocianinas. Pesquisadores descobriram que impedem os danos dos radicais livres e inibir enzimas ciclooxigenase melhor do que muitas drogas antiinflamatórias.

MORANGO: O morango é fonte fibras, vitamina C, vitamina antioxidante que atua no combate aos radicais livres e impulsiona o sistema imunológico, além de compostos fenólicos.

CAQUI: O caqui contém substâncias como os carotenóides. Os pigmentos que dão a cor avermelhada à fruta, entre eles o betacaroteno, precursor da vitamina A, é quem possui as propriedades de reduzir o risco de problemas cardiovasculares, preservar a saúde dos olhos, proteger o sistema imunológico e o licopeno, é eficiente contra o câncer, principalmente o de próstata. O caqui contém fibras e vitamina C, assim para aproveitar a fruta ao máximo, o consumo deve ser in natura, os carotenóides de frutas frescas são mais bem aproveitados pelo organismo. Com 71 calorias em um caqui médio, 6,5 g de fibras, 29,6 mg de vitamina C, 164 mg de potássio e possui alta quantidade de glicose e frutose, uma unidade por dia é o suficiente para não exagerar, podendo ser consumida por diabéticos.

Podemos encontrar variedades como fuyu, giombo, rama forte e podem ser classificados como variáveis, doces e taninosos. Os caquis variáveis podem ter ou não sementes. Quando eles possuem muitas sementes, ficam com a polpa escura, por isso, ganharam o apelido de caqui chocolate. Portanto, espécies como rama forte, giombo, kaoru, que são variáveis, podem se tornar caqui chocolate.

Por Greice Caroline Baggio.

CARNES VERMELHAS E PROCESSADAS E RISCO DE DIABETES.

sábado, 13 de agosto de 2011 1 comentários
Pesquisadores da Harvard School of Public Health mostraram uma associação significativa entre o consumo de carne vermelha, especialmente a carne processada, e um risco aumentado de diabetes tipo 2. O estudo com publicação na American Journal of Clinical Nutrition também mostrou que substituir a carne vermelha por outras fontes proteícas, como leite desnatado, nozes ou grãos inteiros, pode reduzir significativamente o risco.

O estudo incluiu 442.101 participantes, 28.228 dos quais desenvolveram diabetes tipo 2 durante o estudo. Conclusões: Uma porção de 100 gramas diárias de carne vermelha esteve associada a um aumento de 19% do risco de diabetes tipo 2, já 50 gramas de carne processada como salsicha, linguiça, bacon, o risco foi maior, 51%.

Substituir vale por uma saúde melhor
Os pesquisadores descobriram que, para um indivíduo que come uma porção diária de carne vermelha, substituindo uma porção por nozes estava associado com um risco menor, 21%, de diabetes tipo 2; substituindo por lácteos baixo teor de gordura, um risco 17% inferiro, e substituição por grãos ingrais, um risco 23% menos.

O  consumo de carne vermelha processada, como salsicha, bacon, frios, ricos em sódio e nitritos, devem ser restritos e a quantidade de carne vermelha deve ser reduzida, substituído por escolhas mais saudáveis, como nozes, grãos integrais, lácteos pobres em gordura, leguminosas, ou mesmo por peixes.

 
Fonte do estudo:
1.An Pan, Qi Sun, Adam M. Bernstein, Matthias B. Schulze, JoAnn E. Manson, Walter C. Willett, and Frank B. Hu. Red Meat Consumption and Risk of Type 2 Diabetes: 3 Cohorts of U.S. Adults and an Updated Meta-Analysis. American Journal of Clinical Nutrition, August, 2011.
Fonte da imagem: Folha, 11/08/2011. Consumo de carne vermelha aumenta risco de diabetes tipo 2.

FITOQUÍMICOS;

0 comentários
Fitoquímico é termo usado para referir-se
a compostos
 encontrados em vegetais que têm
 efeito benéfico na saúde
ou um papel ativo na melhora do estado de
indivíduos com enfermidades.
A palavra fitoquímico é mais usada para referir-se a compostos encontrados em vegetais que têm efeito benéfico na saúde ou um papel ativo na melhora do estado de indivíduos com enfermidades. Os fitoquímicos melhoram o funcionamento do sistema imunológico, agir diretamente contra bactérias e vírus, reduzir inflamação, ou estarem associados no tratamento e/ou prevenção de câncer, doenças cardiovasculares ou qualquer outra enfermidade afetando a saúde ou bem-estar do indivíduo.

Os compostos bioativos nos alimentos, ou seja, os elementos que ajudam a promover a saúde e a prevenir doenças. Em sua grande maioria, os compostos bioativos estão distribuídos entre as frutas, legumes, verduras, cereais, peixes de água fria, leite fermentado, dentre outros. Eles são aproveitados no próprio consumo dos alimentos in natura ou então isolados e inseridos em outro produto passando então a ser enriquecido com nutrientes.

Os alimentos vegetais contêm também outras substâncias que mantêm o bom funcionamento do corpo, como os flavonóides, encontrados na uva, o licopeno, presente no tomate e na goiaba, e o betacaroteno, nos vegetais de cor amarela ou alaranjada e nas folhas escuras. Essas substâncias têm ação antioxidante, previnem doenças degenerativas e chegam mesmo a retardar o processo de envelhecimento.

Grupos/famílias de fitoquímicos relacionados e suas fontes principais:
Família/ Fontes
- flavonóides: morangos, amoras, ervas, verduras
- isoflavonas (fitoestrogênios):  cevada, linhaça, soja
- isotiocianatos: crucíferos (couve, brócolis, repolho)
- terpenos e monoterpenos: frutas cítricas, salsa, aipo, brócolis, repolho, pepino, tomate, berinjela, pimentão, menta
- compostos organo-sulfúricos: cebolinha, alho, cebola
- capsaicina: pimentas
- carotenóides: vegetais e frutas amarelo escuros, laranja e verde escuros
- licopeno: tomate, goiaba, damascos secos
- lignanas: semente de linho, produtos de grãos integrais
- esteróis: óleos vegetais

Fitoquímicos e o processamento dos alimentos
Os fitoquímicos são destruídos ou removidos por muitas das técnicas modernas de processamento de alimentos, incluindo cozimento. Assim, os alimentos processados industrialmente seriam menos benéficos (contém menos fitoquímicos) do que os não processados.

Alguns fitoquímicos e suas funções:
Compostos sulfurosos
Vegetais como o alho, a cebola, o alho-poró e a cebolinha contém sufidos, que podem estimular enzimas que inibem o crescimento bacteriano. Estudos sugerem que um grande consumo de alho diminui a pressão sanguínea e aumenta a defesa imunológica.

Isoflavonas
Compostos encontrados nos grãos de soja e ervilha. Similares ao hormônio feminino estrogênio, podem diminuir o risco de tumores malignos relacionados a hormônios, como o câncer de mama, de ovário e de próstata, além de proteger contra osteoporose. Além disso, as isoflavonas contidas na soja são convertidas no intestino, a fitoestrógenos que podem reduzir o tipo de colesterol que causa infartos, o LDL.

Isocianatos e Índoles
Compostos presentes em vegetais como brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas, repolho, além de agrião, nabo e rabanete. Além de oxidantes, esses compostos inibem a danificação do DNA, que dispara algumas formas de câncer.

Carotenóides (incluindo betacaroteno, licopeno)
Podem atuar como antioxidantes, possivelmente reduzindo os riscos de câncer e outras doenças.

Capsaicina
Modula a coagulação sangüínea, possivelmente reduzindo o risco de coágulos fatais nos casos de doenças cardíacas e arteriais.

Por Greice Caroline Baggio.

SAFRA.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011 0 comentários
Sempre que possível escolher aqueles
de cultivo orgânico,
aparência, amora, textura e frescor devem
ser levados em conta na hora da compra.


O QUE É SAFRA? Safra é referente ao mês correspondente de colheita e maior disponibilidade de hortifrutigranjeiros e pescados no mercado. Garantindo qualidade e melhor preço do produto.

Alguns alimentos estão disponíveis o ano todo, outros são mais comuns em uma época e não em outra, comprar/consumir alimentos da época e de produção local garantem mais economia e mais nutrientes à mesa. Sempre que possível escolher aqueles de cultivo orgânico, aparência, amora, textura e frescor devem ser levados em conta na hora da compra.

SAFRA DE HORTIFRUTI
JANEIRO:
Abóbora, alho, berinjela, pepino, batatinha, pimentão, quiabo, aspargo, couve-flor, mostarda, milho verde.
Abacate, abacaxi, ameixa, banana, figo, goiaba, jaca, limão galego e taiti, maçã, manga, pera, pêssego, tamarindo, melancia, uva, mamão, coco.

FEVEREIRO:
Abóbora, berinjela, cara, batata-doce, pepeino, rabanete, pimentão, aspargo, nabo, alho porró, acelga, brocóli, rábano, couve, couve-flor, vagem, mostarda, milho verde, repolho, tomate.
Abacaxi, banana, figo, goiaba, limão galego, pera, pêssego, melão, caqui, carambola, marmelo, maracujá, uva, abacate, mamão, coco.

MARÇO:
Jiló, nabo,´pimenta, aipo, batata-doce, rábano, aspargo, berinjela, vagem, pepino, alho, rabanete, brocólis, couve, couve-flor, mostarda, milho verde, repolho, pimentão e abóbora.
Abacate, banana, caqui, carambola, figo, pera d´água, laranja lima, lima, limão galego, mamão, abacaxi, coco, goiaba, uva, pêssego.
ABRIL:
Batata doce, batatatinha, jiló, nabo, pepino, pimenta, rabanete, cará, inhame, acelga, brocólis, alho porró, funcho, couve, couve-flor, mostarda, cebola, feijão, repolho crespo.
Abacate, banana, carambola, tangerina, fruta-do-conde, limão, pera, coco.

MAIO:
Mandioquinha, jiló, nabo, pepino, rabanete, berinjela, acelga, brócolis, abobrinha, aipo, couve, espinafre, mostarda, repolho.
Abacate, banana, laranja, tangerina, cravo, fruta-do-conde,limão, ovos, coco.

JUNHO:
Batata doce, inhame, batatinha, beterraba, mandioquinha, rabanete, acelga, alho porró, salsão, brócolis, chicória, ervilha, feijão, tremoço, espinafre, repolho, cebola.
Banana, laranja, tangerina, abacate, limão siciliano, coco.

JULHO:
Beterraba, mandioquinha, rabanete, nabo, batata-doce, abobrinha, pepino, ervilha, alho porró, almeirão, batatinha, brocólis, couve-flor, couve, acelga, esoinafre, mostarda, rúcula, repolho, cebola.
Banana, laranja, melão, morango, abacate, tangerina, ponkan, coco.

AGOSTO:
Beterraba, mandioca, batata-doce, nabo, espinafre, rabanete, pepino, ervilha, fava, abobrinha, couve-flor, acelga, almeirão, azedinha, alho porró, chicória, couve, espinafre, mostarda, rúcula, repolho, cebola.
Banana, laranja, morango, tangerina, ponkan, coco.

SETEMBRO:
Mandioca, rabanete, pepino, tremoço, ervilha, fava, lentilha, azedinha, couve-flor, couve, aspargo, espinafre, mostarda, repolho, alho porró, tomate, cebola.
Goiaba, abacate, melancia, jabuticaba, mamão, banana, morango, tangerina, ponkan.

OUTUBRO:
Berinjela, pepino, rabanete, pimentão, jiló, abobrinha, alcachofra, alho porró, brocólis, chicória, mostarda, repolho, aspargo, vagem, milho verde, pimenta, tomate.
Ameixa amarela, banana, goiaba, jabuticaba, mamão, pêssego, abacate, melancia, morango.

NOVEMBRO:
Abobrinha, pimentão, jiló, pepino, rabanete, batatinha, feijão soja, vagem, milho verde, pimenta, aspargo, alcachofra, mostarda, repolho.
Banana, goiaba, jabuticaba, mamão, pêssego, abacaxi, morango, manga, melão, laranja.

DEZEMBRO:
Abobrinha, berinjela, pimentão, jiló, pepino, rabanete, batatinha, quiabo, vagem, milho verde, pimenta, aspargo, alcachofra, mostarda, repolho.
Ameixa, jaca, maçã, manga, mamão, pêssego, abacaxi, morango, pera, melão, laranja, pêssego, figo, uva, abacate, melancia.

TODO O ANO:
Alface, agrião, almeirão, beterraba, cenoura, cebolinha, couve, chuchu, escarola, espinafre, mostarda, rabanete, rúcula, salsa.

PERDA DE NUTRIENTES E PROPRIEDADES DA CENOURA.

1 comentários
As cenouras têm sido reconhecidos como um alimento
bom à saúde ocular devido a seus altos níveis de vitamina A
(becacarotenos e outros carotenóides),
betacaroteonos presentes nas cenouras
são excelentes à saúde da pele também.

A perda de nutrientes dos alimentos tem início já desde os campos de produção e continua até a hora de ser consumida. Dependendo da forma como utilizamos estes alimentos, tanto no pré-preparo como no preparo, pode estar se acentuando ainda mais esta perda.

As verduras e legumes podem perder até 50% de suas vitaminas (complexo B e vitamina C) quando picados e cozidos. Isto porque alguns desses nutrientes se dissolvem na água, a qual geralmente não é reaproveitada, ou são inativados pelo calor empregado durante o cozimento.

O ácido ascórbico é perdido em água quente, quanto maior a quantidade de água, maior a quantidade de ácido arrastado, a taxa de oxidação aumenta com a exposição à luz e com o aquecimento. Os alimentos mantidos quentes por 45 minutos perdem 50% ou mais de vitamina C, o amassamento aumenta a taxa de oxidação. Para minimizar perdas de vitamina C deve-se colocar o alimento em água fervente, usar a mínima quantidade de água, cozinhar durante o mínimo tempo possível. As frutas e hortaliças devem ser armazenadas em lugar frio e escuro e não devem ser cortadas, picadas demais (enzimas são liberadas quando as células são rompidas).

Já a vitamina A não é perdida pelo cozimento e a vitamina D é muito estável, também não é deteriorada quando os alimentos são aquecidos ou armazenados por muitos períodos.

Cenoura
As cenouras têm sido reconhecidos como um alimento bom à saúde ocular devido a seus altos níveis de vitamina A (becacarotenos e outros carotenóides), betacaroteonos presentes nas cenouras são excelentes à saúde da pele também.

Grande fonte de vitamina A e minerais, como fósforo, potássio, cálcio e vitaminas do Complexo B. A cenoura tem alto teor de fibras. É uma fonte de betacaroteno, e se constitui em um dos poucos alimentos que tem seu valor nutritivo aumentado pelo cozimento, pois é através deste que as membranas que envolvem o betacaroteno se quebram.

O betacaroteno é um pigmento carotenóide com atividade antioxidante, precursor da vitamina A, ele é convertido em retinol no organismo, uma das formas ativas da vitamina, sendo armazenado no tecido adiposo. Em excesso, o betacaroteno não é tóxico, mas, é responsável por deixar a pele em tom amarelada.

Não sendo de forma tão eficiente, perdas ocorrem quando o betacaroteno é convertido em retinol pelo organismo.

O betacaroteno combate a oxidação do colesterol, sendo responsável ao ser convertido em retinol, pela saúde visual, evitando a cegueira noturna, saúde da pele, crescimento e desenvolvimento, aumento da imunidade, pois participa da formação de novas células, entre elas as de defesa. No período de temperaturas altas e calor, o que muitas pessoas apostam no betacaroteno, carotenóide que auxilia no bronzeamento da pele.

Cenoura, abóbora, manga, damasco, além de vegetais verdes escuros como, espinafre, brócolis são as principais fontes de betacaroteno.

Por Greice Caroline Baggio.

CONTRIBUIÇÕES DO CÁLCIO, ZINCO, VITAMINA D E K, NA FORMAÇÃO ÓSSEA.

0 comentários
Qual a contribuição desses micronutrientes para a formação óssea?

CÁLCIO
O cálcio nos ossos está em equilíbrio com o cálcio no sangue. O PTH desempenha o papel principal na manutenção do cálcio sérico. Quando a concentração sanguínea de cálcio cai abaixo do normal, o PTH estimula a transferência de cálcio a partir do osso no sangue. Ao mesmo tempo, o PTH promove a reabsorção tubular renal de cálcio e estimula indiretamente a absorção intestinal através da forma hormonal de vitamina D.

A baixa biodisponibilidade de cálcio a partir de alguns alimentos pode afetar a absorção de cálcio, como por exemplo, espinafre e alguns vegetais com alto teor de oxalato que contêm cálcio têm baixa biodisponibilidade. Produtos lácteos têm grandes quantidades de cálcio em forma bem absorvida. Um benefício adicional, ao consumir as necessidades de cálcio através dos alimentos, é que estes alimentos também são ricos em vários outros nutrientes necessários à saúde, principalmente a saúde óssea.

As baixas ingestões de vitamina D ou a exposição inadequada à luz solar reduzem a absorção de cálcio, especialmente entre os idosos.

A absorção de cálcio não é afetada pela quantidade de fosfato na dieta, a não ser que seja excessivamente alto, ou pela proporção cálcio/ fósforo.

VITAMINA D
Suas funções são na manutenção da homeostase de cálcio e fósforo e na diferenciação celular.
A ingestão de desta vitamina é importante, mas o excesso de suplemntação pode ser tóxico. Altas doses induzem hipercalcemia e aumentam o risco de calcificação de tecido mole, especialmente dos rins. A exposição ao sol para a biossíntese cutânea de vitamina D pode ser útil para pessoas que ingerem poucas quantidades através dos alimentos. Contudo, a pele de indivíduos idosos é menos eficiente na produção da vitamina após a exposição ao sol.

A deficiência de vitamina D está associada a maior renovação óssea. Conforme estudos, a suplementação de cálcio e vitamina D em idosos reduz o índice de fraturas.

D³ (COLECALCIFEROL)
Funções, nos ossos, para aumentar a reabsorção de cálcio e fosfato.
No intestino delgado, a vitamina intensifica o transporte ativo de cálcio através do intestino, o que envolve a estimulação da síntese de proteína ligante de cálcio (calbindins) na borda em escova da mucosa. Envolvendo a estimulação do transporte de fosfato intestinal. No osso, funciona em conjunto com o PTH e estrógeno para regular a mobilização e deposição de cálcio e fósforo.

ZINCO
O zinco é encontrado na estrutura cristalina do osso, nas enzimas ósseas e na zona de demarcaçãp. É necessário para a atividade osteoblástica adequada, formação de enzimas ósseas tais como a fosfatase alcalina e calcificação. A menos que a absorção óssea esteja ocorrendo, o zinco no osso não está disponível.

O zinco é essencial para as enzimas nos osteoblastos que são responsáveis pela síntese do colágeno. Além disso, uma importante enzima nos osteoblastos, a fosfatase alcalina, necessita de zinco para a sua atividade.

VITAMINA K
A vitamina K é importante para a saúde óssea, pelo seu papel na modificação pós-translação de várias matrizes protéicas, incluindo a osteocalcina. A osteocalcina que é uma proteína específica dos ossos, elaborada por osteoblastos, requer vitamina K para a carboxilação pós-translação, ou seja, maturação. Essa molécula é secretada na matriz óssea onde participa do processo de mineralização, atuando para interromper a formação de cristais, impedindo a excessiva mineralização.. Os osteoblastos secretam alguma osteocalcina diretamente na circulação sanguinea. Outra foorma de entrada de osteocalcina no sangue ocorre após a reabsorção óssea e liberação dessas moléculas, onde a osteocalcina serve como um marcador ósseo sérico no prognóstico do risco de fratura. Por exemplo, mulheres idosas tinham um risco maior de fratura do quadril quando tinham baixa ingestão de vitamina K e subcarboxilação de osteocalcina.

Idosos têm ingestões inadequadas de vitamina K, em especial pelo baixo consumo de vegetais folhosos verdes e também podem receber medicações que reduzem a ingestão de vitamina K. A antibioticoterapia elimina as bactérias produtoras de vitamina K, sendo indicada a suplementação.

Por Greice Caroline Baggio.

NÍVEIS ALTOS DE HOMOCISTEÍNA E DOENÇA CARDIOVASCULAR

quinta-feira, 11 de agosto de 2011 0 comentários
Determinação sanguínea da homocisteína (bem como
 lipoproteínas) que pode indicar alguma
 alteração das artérias,
são importantes, a fim de,
 prever risco cardíaco..
Além da herança genética, os fatores de risco mais comuns para doenças cardiovasculares estão ligados ao estilo de vida, como tabagismo, sedentarismo, obesidade, estresse, erros alimentares, hipertensão arterial. Estudos recentes mostram novas evidências que o aumento do colesterol, principalmente o LDL, dito como o de grande importância, não está sozinho como fator associado à arteriosclerose, existindo também o excesso de níveis no sangue de homocisteína, a hiperhomocisteinemia.

A homocisteína é um aminoácido não essencial sulfurado, identificada em 1962 conforme (), sendo formada pelo metabolismo de aminoácidos essenciais, podendo seguir duas rotas metabólicas: a remetilação, que dá lugar à regeneração de metionina; e a transulfuração, levando à formação de metionina.

Uma baixa ingestão protéica leva a homocisteína ser metabolizada primeiramente pela via de remetilação para conservar metionina, via que requer como cofator a enzima metionina sintetase que é dependente de vitamina B12, requerendo um aporte adequado da enzima metilenetetrahidrofolato redutase e ácido fólico.

Em condições de excesso de metionina ou quando suas reversas são adequadas, a via de transulfuração é ativada. A homocisteína juntamente com a serina forma a cistationina, requerendo vitamina B6 como cofator. A cistationina é hidrolisada pela enzima y-cistationase que também depende de vitamina B6 para formar cisteína e a-cetobutarato.

Cerca de 1% da homocisteína se encontra no plasma na sua forma livre, 70 a 80% está ligada às proteínas plasmáticas, em especial a albumina e o restante, está ligada à própria homocisteína ou a cisteína pelos grupos dissulfetos. Eliminada principalmente pelos rins, onde seus níveis plasmáticos variam conforme o sexo e a idade, aumentando durante toda a vida em ambos os sexos. Indiferente do sexo, as crianças apresentam níveis baixos de homocisteína, dentro de 5 mol/L. e durante a puberdade esses níveis aumentam, sendo que mais em meninos do que meninas.

No período gestacional, a homocisteína é reduzida cerca pela metade e retorna aos seus valores anteriores em poucos dias após o parto. Com a redução dos níveis de estrógenos, após a menopausa, aumentam os níveis de homocisteína, mas permanecem mesmo assim inferiores aos dos homens.

Em conseqüência da má absorção ou suprimento insuficiente de folato, vitamina B12 e B6, redução da função renal e mudanças no metabolismo, os idosos apresentam concentrações elevadas de homocisteína.

O baixo consumo de vitaminas, como a vitamina B6 e B12 e ácido fólico induz a elevação nos níveis de homocisteína, seu excesso no sangue, leva a formação de placas fibrogordurosas ou de ateromas e as artérias são lesadas, o que resulta em arterosclerose e doenças cardiovasculares.

Para evitar o excesso, na dieta:
- As refeições diárias devem incluir sementes, oleaginosas, grãos integrais, frutas e legumes. Consumir frutas e legumes frescos. Sucos de vegetais são bem-vindos.
- Manter o aporte adequado de gorduras boas, como o ômega3. Controlar saturadas e eliminar as gorduras hidrogenadas. 
- Incluir alho e cebola. Estudos têm demonstrado que estes ajudam na prevenção do desenvolvimento da arteriosclerose.
- Evitar o fumo.


Fonte das informações:
Homocisteína, Arteriosclerose e Trombose. NewsLab, n°41, p. 178-186, agosto, 2000.
Determinação da Homocisteína: Por que, Quando e Como. NewsLab, n°52, p. 114-118, junho, 2002.
OLIVEIRA, Ana Pula Rodrigues de; CASTRO, Sônia Maria Vieira de; SAMPAIO, Helena Alves de Carvalho. Homocisteína e Doença Cardiovascular: Uma revisão. Nutrição em Pauta, São Paulo, n° 76, p 18-22, janeiro/fevereiro 2006.
Por Greice Caroline Baggio.