Google Analytics Alternative

IMPORTÂNCIA DAS GORDURAS AO ORGANISMO.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012
As pessoas, em geral, vivem tentando eliminar gordura do corpo. Mas essa substância, na dose certa, desempenha um papel importante em várias funções do organismo, como o controle da temperatura e o funcionamento intestinal. A gordura tem ainda outro papel: permite que a gente sinta o sabor dos alimentos, ao grudar nas papilas gustativas da língua.


A gordura também é fundamental para a formação das membranas celulares. A capa que envolve todas as células do corpo é feita dessa substância.
 
As gorduras mais sólidas, como as da carne e da pele do frango, ajudam a aumentar o colesterol ruim. Já as mais fluidas, como as dos óleos e do azeite, têm menos potencial de aumentar o LDL.
Os especialistas recomendam fugir de alimentos que contêm gordura saturada e trans, a mais prejudicial de todas. Elas podem ser substituídas por outros tipos. Por isso, é importante ler o rótulo e, principalmente, compará-los para saber que tipo de gordura vai em cada produto.
A gordura trans, usada principalmente no preparo de pães, bolachas e doces, está desaparecendo da indústria. Isso porque, além de aumentar os níveis de colesterol ruim no sangue, também reduz o nível de colesterol bom (HDL), que ajuda a proteger o coração e é obtido quando fazemos exercício físico.
 
Absorção de vitaminas
Quando comemos, ingerimos uma série de nutrientes, proteínas e vitaminas fundamentais para nossa sobrevivência. Algumas dessas vitaminas são chamadas de liposolúveis, ou seja, só podem ser absorvidas com a ajuda da gordura.
É o caso das vitaminas A, D, E e K. Elas vão para o sistema linfático, onde são distribuídas para todo o corpo.
A vitamina A é importante para a visão, a D reforça o sistema imunológico, a E tem função antioxidante e a K é necessária para a coagulação do sangue.
 
Controle da temperatura
A gordura também funciona como um isolante térmico, ou seja, mantém a temperatura corporal e nos protege do frio, para que órgãos e glândulas trabalhem normalmente.
É por causa dessa espécie de capa térmica que os gordinhos tendem a suar mais, pois, pela quantidade excessiva de gordura e calor que produzem, precisam de muita água para refrigerar o organismo.
 
Funcionamento intestinal
Na digestão, a gordura empurra o alimento pelo intestino, ajuda a deixar o alimento mais gorduroso e lubrifica as paredes intestinais para que esse processo seja concluído.
Com gordura de menos, a digestão fica muito mais trabalhosa. Se for demais, a pessoa pode ter uma diarreia, porque a parede do intestino fica tão lubrificada que os nutrientes do alimento e a água mal conseguem ser absorvidos.
 
Produção de hormônios
A gordura carrega o colesterol do sangue para as glândulas que produzem os hormônios. Com a ação da gordura e do colesterol, a suprarrenal, por exemplo, produz o cortisol, hormônio que ajuda o corpo a ficar em situação de alerta em casos de emergência.
Nos homens, um complexo formado por gordura e colesterol serve de matéria-prima para os testículos fabricarem a testosterona, o principal hormônio masculino.
No caso das mulheres, a gordura e o colesterol agem nos ovários, produzindo os principais hormônios femininos: o estrogênio e a progesterona.
 
Frituras
Nenhuma gordura deve soltar fumaça, o que ocorre quando ela está perdendo nutrientes. Para todas elas, existe o chamado “ponto de fumaça”. Quando as gorduras chegam a essa temperatura, começam a ser mais prejudiciais à saúde, porque basicamente mudam de propriedades ao sofrer alterações químicas.
A dica, então, é cozinhar antes que a gordura superaqueça, mude sua composição e irrite a boca, o nariz e o estômago. Ao aquecer o azeite (o extra-virgem é o melhor tipo), mantenha o fogo médio e não deixe que ele passe de 160º C.
Na hora de fazer uma fritura, não use margarina nem creme vegetal, porque esses alimentos têm pouca gordura e muita água, que pode espirrar.
O melhor é o óleo de soja, porque, além de ser fácil de encontrar e manusear, tem um teor de gordura boa maior. Esse produto contém ômega 3 e 6 e o custo-benefício é melhor (é mais barato e melhor para a saúde).
 
Descarte de óleo
Ao despejar o óleo de cozinha usado na pia, ralo ou bueiro, muitas pessoas não se dão conta dos danos que estão causando. Ele entope redes de esgoto, aumentando os custos com o tratamento de água, além de poluir rios e represas. Um único litro de óleo contamina milhares de litros de água.
Separe um recipiente para coleta do óleo (como uma garrafa PET), espere-o esfriar para depois acondicioná-lo e, quando a embalagem estiver cheia, leve-a a um posto de coleta. O recipiente, assim como o óleo, também será reciclado.
 
Fonte: G1, Parte do texto Gordura atua na produção hormonal, temperatura e atividade do intestino. Acesso em 24/08/2012.

0 comentários:

Postar um comentário