Google Analytics Alternative

CARACTERÍSTICAS DA NUTRIÇÃO NO IDOSO. EXERCÍCIOS E SARCOPENIA.

quinta-feira, 21 de abril de 2011
Incluir alimentos "funcionais" na dieta do idoso,
 contribui à sua nutrição a nível celular.
A ingestão inadequada de alimentos contribui como fator de risco à saúde do idoso, nesta fase, o hábito alimentar é determinando pelas preferências, mudanças fisiológicas, como também pela condição financeira, acesso aos alimentos, integração social...

Condições que levam, muitas vezes, ao idoso não se preocupar consigo mesmo, alimentando-se de qualquer maneira, com uma dieta deficiente em qualidade e quantidade. O isolamento social e a pobreza são os fatores que mais contribuem para seu estado nutricional inadequado, além da demência e depressão. Alguns estudos mostram que idosos que moram sozinhos apresentam maior IMC, prevalência maior de obesidade, maior circunferência da cintura, baixa ingestão e baixas reservas de cálcio, maior ingestão de gorduras e dieta pobre em fibras.

Perguntas de relevância à nutrição do idoso:
- Apresenta dificuldades para mastigar e/ou engolir?
- Realiza sozinho as refeições? Consegue preparar e/ou comprar sozinho seus alimentos? Têm condições financeiras para comprar alimentos distintos?
- Teve alteração de peso significativa nos último 6 meses (cerca de 4 kg)?
- Fuma?
- Realiza exercícios físicos frequentemente?

Características distintas que ocorrem no processo de envelhecimento devem ser levadas em consideração para que o idoso possa dispor de uma nutrição suficiente e adequada:

- Em muitos dos casos, o padrão de dieta do idoso já está definido, sendo ele resistente há modificações, entretanto, com esclarecidos claros e precisos sobre alimentação, podemos ter resultados grandiosos, adequando pequenas mudanças, mas significativa em seu plano alimentar.

- No envelhecimento a dentição pode estar comprometida, o que dificulta a mastigação, limitando-os ao consumo de alimentos de consistência pastosa e branda. Incluir nutrientes entre as refeições que sejam de fácil mastigação e incentivar a procura de um especialista que cuide da dentição do idoso é o passo chave.

- O isolamento social e as baixas condições socio-econômicas deixam o idoso sem estímulos para o próprio preparo das refeições diárias, ou mesmo, a realizarem escolhas alimentares de baixo custo, mas errôneas, com energia e gordura extra e baixa em nutrientes essenciais. Como sabemos, o caminho para a vitalidade e disposição estão na escolha de alimentos adequados e podemos sim, encontrar alimentos de qualidade com custo mais acessível, esse é o ponto principal que deve ser enfocado ao idoso.

- Os processos fisiológicos, muitas vezes, estão modificados no organismo no momento em que vamos envelhecendo. A predisposição a problemas gástricos, intestinais, como diarréia, constipação e a redução da secreção salivar, podem contrapor a nutrição do idoso, neste caso, ajustes cautelosos na dieta alimentar são essenciais.

Incluir alimentos "funcionais" na dieta do idoso, contribui à sua nutrição a nível celular, aumentar sua proteção aos radicais livres, melhor o funcionamento e a composição da microbiota intestinal, melhor sua imunidade, são alguns dos aspectos de uma nutrição otimizada.

Acrescentando por Dr. Luiz Romariz. (REJUVENESCIMENTO MUSCULAR EM SÊNIOR)
Novos estudos mostram que nos idosos o treino de resistência de cerca de 20 minutos, três vezes por semana pode ser o melhor meio de prevenção da sarcopenia (perda muscular inexplicável). Isto é particularmente importante pois os músculos são os reservatórios de proteína e as nossas defesas (imunoglobulinas) são feitas de proteína.

A insulina transporta as calorias aos músculos para que eles se possam reparar e crescer. Isto significa que a insulina tem um saudável efeito anabólico ao nível muscular. Contudo, muitos idosos estão num estado de declínio muscular refletido por excesso de degradação muscular. Os cientistas descobriram que a diferença entre os músculos dos jovens e os dos seniores se devia ao fato da insulina não ter tanto efeito nos mais velhos, um problema corrigido pelo exercício de pesos que anula a insulino-resistência de forma a que o músculo possa rejuvenescer. Também descobriram que a circulação nos músculos das pernas podia ser aumentada por este tipo de exercício.

Claro que o problema da sarcopenia no idoso é devido mais à diminuição da síntese muscular (anabolismo) do que à sua degradação (catabolismo). É pois importantíssimo o aporte proteico para corrigir esta situação e ter um bom reservatório proteico em caso de infecção. Isto pode ser obtido pela sinergia entre o exercício e a ingestão de proteína de soro de leite ou de clara de ovo.

Fonte: Texto de Dr. Luíz Romariz. Tem desenvolvido a medicina preventiva nos últimos 25 anos e alcançou o International Certificate of Age Management Medicine no Cenegenics Medical Institute de Las Vegas, em 2005. Tem ainda pós-graduação pela Harvard Medical School e é membro da Americana A4M, da Life Extension Foundation e da Andropause Society, do Reino Unido. É o fundador do Instituto Médico NewAge, no Porto.


Por Greice Caroline Baggio.

0 comentários:

Postar um comentário