Google Analytics Alternative

MELATONINA X CÂNCER.

segunda-feira, 19 de outubro de 2015
Hormônio contra o câncer

Pesquisadoras brasileiras usaram a melatonina para combater células de câncer humano e evitar que elas se espalhem pelo corpo.


A melatonina é um hormônio secretado pela glândula pineal, cuja principal função conhecida é regular o sono, mas já se sabia que ela tem potencial de ação contra células do câncer e que sua ausência causa obesidade e diabetes - na verdade, alguns pesquisadores já chamam a melatonina de uma nova fonte da juventude.

Agora a equipe da professora Débora Zuccari, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (SP), demonstrou a ação desse neuro-hormônio contra a metástase do câncer de mama, tanto em células cultivadas em laboratório, quanto em modelos animais.

Melatonina contra o câncer
O grupo de animais tratado com melatonina apresentou 40% menos metástase do que o grupo placebo.

"Esses dados reforçam a hipótese, já apontada em estudos anteriores do grupo, de que doses terapêuticas de melatonina - acima do que normalmente é encontrado no organismo humano - poderiam funcionar como adjuvante no tratamento do câncer," reforça Thaiz Ferraz Borin, principal responsável pelos novos experimentos.

Thaiz trabalhou com um tipo agressivo de tumor de mama conhecido como triplo negativo, que não responde nem ao tratamento antiestrogênico, nem à quimioterapia e nem à radioterapia, além de ter maior tendência a formar metástase.

Angiogênese
Segundo a pesquisadora, o objetivo é entender por meio de quais mecanismos a melatonina atua, pois isso pode favorecer novas abordagens terapêuticas contra o câncer.

"Nós temos estudado como a melatonina afeta a angiogênese (formação de novos vasos que vão nutrir o tumor), o microambiente tumoral (que pode favorecer ou dificultar a passagem das células malignas para a circulação), a formação de metástase e a expressão de proteínas e de microRNAs importantes para a progressão da doença," contou Débora.

A pesquisadora acrescenta que já está nos planos do grupo a realização de ensaios clínicos com pacientes portadores de câncer de mama que não respondem a outros tratamentos.


Fonte: Diário da Saúde.

------------------------------------------

Apisnutri


O sono constitui-se em um aspecto fundamental da vida do ser humano. Possui função restauradora, de conservação de energia e de proteção. Sua privação pode determinar importante prejuízo em curto ou em longo prazo nas atividades diárias do paciente, causando adversidades sociais, somáticas, psicológicas ou cognitivas (1). 


As queixas relacionadas ao sono são muito prevalentes na prática clínica. A maioria dos pacientes procura atendimento médico por: dificuldade em iniciar ou manter sono, com múltiplos despertares durante a noite; despertar cedo; sono não restaurativo; movimentos/comportamento anormais durante a noite; fadiga ou sonolência diurna; dificuldade de concentração; irritabilidade; ansiedade; depressão; dores musculares (1). 

MAGNÉSIO O magnésio tem um efeito calmante no sistema nervoso, diminuindo a ati vidade simpáti ca, o que melhorará o sono e diminuirá as vezes que você acorda durante a noite.(2) Consequentemente, auxilia na recuperação muscular e na estimulação dos hormônios que são liberados durante o sono. A defi ciência dietéti ca de magnésio é positivamente correlacionada ao aumento da peroxidação lipídica e à diminuição da ati vidade anti oxidante (NIELSEN; LUKASKI, 2006). Pesquisas têm demonstrado que pessoas estressadas do ti po agressivas, ambiciosas, competi ti vas, que vivem sob tensão têm constante défi cit do magnésio muscular. Portanto, uma ingestão adequada de magnésio é essencial para manter as artérias relaxadas, à pressão arterial baixa e os bati mentos cardíacos regulares (RONSEIN, 2004). 

ZINCO O magnésio, zinco e vitamina B6 são cofatores importantes na síntese de serotonina, um percursor da melatonina, um hormônio que regula o ciclo circadiano e importante na iniciação do sono.(3) Num estudo duplo-cego, controlado por placebo e realizado em longo prazo em uma unidade de cuidados em Pavia, Itália, investigadores da Universidade de Pavia (Rondanelli. 2011) verificaram que a combinação de 5 mg de melatonina, 225 mg de magnésio, e 11,25 mg de zinco, misturada com 100 g de polpa de pera, ingerida 1 hora antes de deitar pode ser um tratamento eficaz para a insônia primária em indivíduos idosos(4). Para resumir os resultados, os pacientes que receberam o tratamento durante 8 semanas, dormiram durante mais tempo, de forma mais profunda, tiveram uma maior facilidade em se levantar pela manhã e de uma forma geral, estiveram num estado mais alerta do que aqueles que receberam um placebo (4). 

VITAMINA B6 A principal função metabólica da vitamina B6 é como coenzima. Tem um papel importante no metabolismo das proteínas, hidratos de carbono e lipídeos; as suas principais funções são: a produção de epinefrina, serotonina e outros neurotransmissores; a formação do ácido nicotínico da vitamina; a decomposição do glicogênio e o metabolismo dos amino- ácidos (5). A vitaminas B6 (piridoxina) auxilia na circulação, favorecendo a troca de energia entre as células, bem como atua nos processos metabó- licos que ocorrem enquanto dormimos (6). Sua deficiência pode causar alterações dermatológicas e neurológicas como: dermatite seborréica, fraqueza, insônia, neuropati as periféricas e anemia (Mahan & Stump, 2005). 

VITAMINA B9 Além de ser essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso do feto, o folato é fundamental para a função cerebral adequada e desempenha um papel importante na capacidade cognitiva e na saúde mental e emocional. Segundo estudos realizados pelo Institute for Functional Medicine, na Flórida, mais de 40% dos casos de depressão são causados pela falta de folato no organismo Ele age como cofator na produção de serotonina, um neurotransmissor que garante o bom humor e favorece o sono (7). 

Referências: (1) Chokroverty S. Overview of sleep & sleep disorders. Indian J Med Res. 2010;131:126-40. (2) Omiya, K., Akashi, Y., Yoneyama, K., Osada, N., Tanabe, K., Miyake, F. Heart-Rate Response to Sympatheti c Nervous Sti mulati on, Exercise, and Magnesium Concentrati on in Various Sleep conditi ons. Internati onal Journal of Sport Nutriti on and Exercise Metabolism. 2009. 19
(2), 127-135. 
(3) htt p://www.fat-new-world.com/2013/06/zma-carencias-nutricionais-e-sono.html 
(4) Rondanelli M1, Opizzi A, Monteferrario F, Antoniello N, Manni R, Klersy C. The eff ect of melatonin, magnesium, and zinc on primary insomnia in long-term care facility residents in Italy: a double-blind, placebo- -controlled clinical trial. J Am Geriatr Soc. 2011 Jan;59(1):82-90. doi: 10.1111/j.1532-5415.2010.03232.x. 
(5) htt p://www.lersaude.com.br/quais-sao-as-vitaminas-do-complexo-b-porque-sao-essenciais/ (6) htt p://www.investi mentosenoti cias.com.br/noti cias/saude/alimentos-ricos-em-zinco-e-vitamina-b6-e-b12-melhoram-a-qualidade-do-sono 
(7) htt p://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/18134-acido-folico-e-aliado-do-cerebro-das-gestantes-e-do-coracao

0 comentários:

Postar um comentário